Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

Lenine, o Ditador | Opinião

Tags: lenine suas homem

Wook.pt - Lenine, o DitadorEsta biografia íntima de Lenine constitui um trabalho ímpar sobre uma das figuras mais significativas o século XX.

Lenine acreditava que o político é o pessoal, e, de modo algum ignorando sua vida política, o foco de Sebestyen será sobre Lenine, o homem - um homem que amou a natureza quase tanto quanto amava fazer a revolução e cujos laços e as amizades estabeleceu-as com mulheres.

A sua largamente escondida ménage a trois com a esposa, Nadezhda Krupskaya, e a amante e camarada, Inessa Armand, revela uma personagem diferente da figura fria e unidimensional da lenda.


Autor: Victor Sebestyen
Editor: Objectiva (Outubro, 2017)
Género: Biografia
Páginas: 680
comprar

opinião
★★★★☆
Robert Lessing: "O bolchevismo é a coisa mais odiosa e monstruosa que a mente humana alguma vez concebeu (…) Encontra os seus adeptos entre os criminosos, os depravados e os deficientes mentais" - página 505


Com a execução do irmão, Vladimir Ulianov, a criança mais barulhenta e mal comportada de uma família afectuosa, radicalizou-se de um dia para o outro. Viveria muitos anos em exílio até chegar finalmente ao poder, mantendo-se sempre activo na causa, revelando uma fé fanática pela mesma.

Neste livro, Victor Sebestyan relata a vida de Lenine enquanto nos pinta um excelente retrato do seu carácter. Lenine não conhecia meio-termo, não permitia que os que lhe estavam próximos discordassem das suas ideias, exigindo que todos se vergassem às suas vontades. O seu grande talento era demolir a argumentação do adversário, adquirindo um tom rude e agressivo, recorrendo à ridicularização e ao obsceno se necessário fosse.

Ideólogo, dono de uma vontade de ferro e com enorme autoconfiança, Lenine fazia uma interpretação fria do marxismo, adaptando-o aos seus propósitos. Ignorava o verdadeiro significado de liberdade bem como os Direitos do Homem, não respeitava as classes trabalhadoras pelas quais se propunha fazer a revolução, "prometeu tudo e mais alguma coisa ao povo. Propôs soluções simples para problemas complexos. Mentiu desavergonhadamente." (página 23).

Sob o seu regime, os bolcheviques apropriaram-se de activos estrangeiros, confiscaram propriedade individual, recusaram o pagamento de empréstimos contraídos pelo governo czarista e levaram a cabo uma repressão violenta da religião. Milhões de pessoas morreram à fome, ao ponto do canibalismo se tornar uma solução, ao passo que eram distribuídas regalias pela elite comunista, cada vez mais apartada do povo.

Mas Sebestyen vai além de Lenine, apresentando-nos diversas outras personagens suas contemporâneas. Perde inclusivamente algum tempo com a esposa do ditador, Nadia, uma revolucionária convicta que sempre o apoiou e com Inessa, a amante, uma feminista convicta e apaixonada, emocionalmente exigente e uma fonte inesgotável de vida. O escritor contextualiza toda a história da vida de Lenine colocando-a a par com a história do seu país: as falhas imperdoáveis de Nicolau II, as guerras que se revelariam desastrosas para a Rússia, o consequente ódio pela monarquia que culminaria na Revolução que Lenine queria levar ao resto do mundo numa insurreição coletiva contra o capitalismo.

Este livro, bem escrito, bem sintetizado e definitivamente bem pensado satisfez sem dúvida a minha curiosidade em relação a esta figura histórica. O único aspeto negativo, na minha opinião, é o abuso de notas de rodapé que quebram constantemente o ritmo da leitura.

«Há décadas em que nada acontece. E há semanas em que acontecem décadas.» (Lenine)






This post first appeared on Tempo De Ler, please read the originial post: here

Share the post

Lenine, o Ditador | Opinião

×

Subscribe to Tempo De Ler

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×