Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

Profissões que eu queria ser quando crescesse – e que claramente não fui

Apesar de eu não parecer ter sido uma criança muito boa das ideias, eu fui (na realidade, eu era muito mais consequente e responsável durante a infância do que nos dias atuais, believe me HAHAH). E, como toda pessoa em formação, eu já pensei em ser MUITAS E MUITAS E MUITAS E MUITAS coisas. E, excluindo, claro, o fato de que eu, desde pequena, sempre quis atingir a fama, o sucesso, o poder e a dominação mundial, eu também já tive sonhos corriqueiros com profissões mortalmente aceitáveis HAHAH.

Vamo resgater esse lance:

1 – Professora

Na verdade, Durante esse devaneio eu não sabia muito bem o que era, de fato, ser um professor. Eu só sabia que eu era super competente e renomada dentre a minha plateia de alunos composta por ursinhos e bonecas, bastante obedientes, por sinal.  E eu gostava de ideia de ser professor principalmente por achar que teria o poder de ser superior e mandar em alguém HAHAHAH (Hellz problemática as hell).


2 – Veterinária

Que eu tenho fortíssimas tendências a me tornar a tia doida dos gatos, todos vocês já tão carecas de saber. Mas, além de cuidar de gatinhos, eu queria salvar todo o reino animal com os meus conhecimentos. A realidade é que, durante o vestibular (onde eu tava meio doida sobre jornalismo já que inventaram a palhaçada de que não era mais necessário diploma pra exercer a profissão, balela máster...) eu até pensei em fazer veterinária. Minha doce mãe, sempre sábia, me fez a pergunta crucial: “Você abriria um gato?”. Bom... Eu na mesma hora soube que pertencia mesmo à área de comunicação HAHAHA.

3 – Fisioterapeuta

Desde que tenho algum traço de guardar memórias, lembro do trabalho infantil o qual a minha mãe me submetia durante algumas noites. Eu fazia “um bico” de massagista aos 5 anos. Em troca, uma moedinha de um real. Eu achava super negócio e segui no ramo por alguns outros anos (dizem, até, que a minha massagem é a melhor do mundo, doisbj). Minha mãe achava que eu tinha jeito pras parada (não tô chamando fisioterapeuta de massagista, pelamor...) e que devia investir aí na área. Ainda na época do vestibular quando meu sonho de jornalismo tava meio caidinho, eu até cogitei a possibilidade. Desisti por achar que branco não me favorecia. Jalecos brancos? Nop. Me recuso.


4 – Cabeleireira

Apesar de sempre ter feito penteados muito lokos nos cabelos das minhas clientes durante a infância (bonecas de cabelo picotado, embora eu achava que tava criando tendência), eu cheguei a conclusão de que jamais poderia seguir adiante com o sonho por ter extrema preguiça de compreender química. E a magia do cabelo é meio feita a partir desses paranauê, né? Mas vou logo dizendo que faço a melhor chapinha do mundo, pode espalhar aí :B 

5 – Atriz/Modelo/Apresentadora/Kardashian/Famosa pra caralho

Essa é uma profissão que, não apenas durante a primeira infância, eu ainda busco durante a segunda infância (essa a qual estou vivendo no momento HAHAH).  Afinal, como atingir a dominação mundial se eu não tiver meu reality show, minha linha de cosméticos, meus livros, meu programa de entrevistas e uma  marca de roupas?  LUCIANO HUCK, ME AJUDA! HAHAHAHAH



E vocês, gatosxs da Tia Hellz, o que queriam ser quando crianças?


This post first appeared on Being You Is Easy, But Being Hellz..., please read the originial post: here

Share the post

Profissões que eu queria ser quando crescesse – e que claramente não fui

×

Subscribe to Being You Is Easy, But Being Hellz...

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×