Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

Florbela Espanca – Versos na tarde – 31/08/2017

Os meus versos
Florbela Espanca¹

Rasga esses versos que eu te fiz, amor!
Deita-os ao nada, ao pó, ao esquecimento,
Que a cinza os cubra, que os arraste o vento,
Que a tempestade os leve aonde for!

Rasga-os na mente, se os souberes de cor,
Que volte ao nada o nada de um momento!
Julguei-me grande pelo sentimento,
E pelo orgulho ainda sou maior!…

Tanto verso já disse o que eu sonhei!
Tantos penaram já o que eu penei!
Asas que passam, todo o mundo as sente…

Rasgas os meus versos… Pobre endoidecida!
Como se um grande amor cá nesta vida
Não fosse o mesmo amor de toda a gente!…

¹ Florbela De Alma Conceição Espanca
* Vila Viçosa, Portugal – 1894
+ Matosinhos, Portugal – 1930

Share the post

Florbela Espanca – Versos na tarde – 31/08/2017

×

Subscribe to Blog Do Mesquita | Opiniões, Arte, Política, Cultura, Comportamento, Tecnologia, Design, Fotografias, Poesias, Publicidade.

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×