Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

Som e Cor - Gomes Leal

O vermelho deve ser como o som duma trombeta
(Um cego)


Alucina-me a cor! - A rosa é como a Lira,
a Lira pelo tempo há muito engrinaldada,
e é já velha a união, a núpcia sagrada,
entre a cor que nos prende e a nota que suspira.

Se a terra, às vezes, brota a flor, que não inspira,
a teatral camélia, a branca enfastiada,
muitas vezes, no ar, perpassa a nota alada
como a perdida cor dalguma flor, que expira...

Há plantas ideais de um cântico divino,
irmãs do oboé, gémeas do violino,
há gemidos no azul, gritos no carmesim...

A magnólia é uma harpa etérea e perfumada
e o cacto, a larga flor, vermelha, ensanguentada,
tem notas marciais: soa como um clarim!

António Gomes Leal (n. em Lisboa a 6 se junho de 1848; m. 29 de janeiro de 1921)


This post first appeared on Nothingandall, please read the originial post: here

Share the post

Som e Cor - Gomes Leal

×

Subscribe to Nothingandall

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×