Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

o Fim da Ilha de Mú



Lemúria

Em tempos perdidos, esquecidos da memória humana, ou quem sabe só mais uma história ... o caminho de uma geração estava sendo decidida. Toda a ação se passa numa velha Ilha (hj talvez onde Vanuatu está) cercada de mistérios e um mundo de gigantes.



 Uma ilha que talvez para alguns fosse algo até medonho, mas só quem por lá habitava ou tenha passado, via suas belezas naturais. No lado oeste uma floresta, digna de se observar e um lugar onde a experiência com certeza valeria muito para sobrevivência. No lado leste uma praia, nada muito Grande, mas uma praia com um velho porto. Tudo muito rudimentar. No lado norte as Habitações dos Gigantes. Ao sul o ultimo templo dos Sacerdotes, com aspecto de destruído .. e recém abandonado pelo ultimo filho dos sacerdotes.
Muita coisa aconteceu naquela ilha. Estes eram seus últimos momentos. Estavamos abandonando o Templo e passávamos pelo grande lago que existia ali. Olho tudo a volta como se não acreditasse que meu pequeno (grande) mundo estava a ruir. Mesmo sendo um lugar de vida dura e difícil, muitas histórias começavam e terminavam ali.



Agora que descrevi o local, é necessário os personagens, não? Ronin, o ultimo dos sacerdotes do Templo da Luz Azul, está já bem mais velho do que eu o conhecia. Um grande homem, fiel até o fim e responsável também por erros e acertos de toda sua geração. Ultimo sobrevivente dentre os sacerdotes. Poderia defini-lo como um guerreiro sacerdote. Ele está a guiar para fora do Templo sua esposa e “seus filhos” do coração.
Sátira, esposa e leal companheira de Ronin também está bem mais velha. Ela não pode gerar filhos sanguíneos de Ronin, mas nada evitou de terem filhos adotivos e que muito aprenderam com eles. Sátira carregava com ela alguns mapas e algo como uma bolsa.



Não consigo me lembrar do nome do Guerreiro Sacerdote que liderou a resistência naquela ilha. Este era um dos Gigantes, habilidoso com espadas. Suas técnicas eram tão admiradas na comunidade em qua vivia que se tornou professor dos mais novos . Seu hobbie era forjar espadas. O encontro dele e Ronin, mudaria toda a trajetória da Ilha e de muitas vidas. Era uma honra ser treinado por esse especialista. Tinha afinidade com a política local, era grande amigo daquele que se tornaria seu rival nessa ultima hora. O Mestre Das Espadas Duplas deixava o templo junto a Ronin, Sátira e seus alunos, carregando com ele a muda de uma Árvore. Seu cuidado extremo e sacrifício que jamais esquecerei.
Destaco tbm o melhor dos alunos do Mestre Das Espadas Duplas. Seu nome era Lassur. Esse jovem se destacou dos demais pelas habilidades. Mas não era só isso; foi a responsabilidade que recaiu sobre ele em vários momentos que o fez notório. Um eterno boca suja, com instinto de vilão ( porém  era um herói ), mas um coração bom e corajoso, capaz de adquirir os conhecimentos de luta e sacerdócio como ninguém.  Ele ajudava a guiar os mais novos para a saída em direção ao velho porto.



Um grande barco que havia sido construído com boa antecedência e testado estava aguardando a nossa chegada.
Havia grande agitação e as grandes aves deixavam a ilha. O céu num tom jamais visto, parecia sangrar e chorar. A Floresta já ardia em chamas .. As lágrimas rolavam Dos Meus Olhos .. Eu estava mais nova que antes .. era quase uma criança sendo carregada pelo Gigante. Ele não tinha palavras doces a boca, mas me encorajava a todo tempo:
- Não chora! Engole o choro! Você nunca foi fraca. Tudo que vê aqui será apenas um sonho algum dia. Trate de mudar as coisas ta ouvindo?
E o Lassur mesmo cheio de palavras sujas, ainda arrumou tempo de bater boca:
- (#[email protected]@@@&) ! Mestre! Não fale assim com a Dama da Árvore! É só uma criança agora! Até eu to assustado com tanta destruição!
E descemos todo caminho até o Porto. Os olhos vigilantes de Ronin, demosntravam que a situação era séria e tentava de certa forma deixar algo para ser lembrado.
Os mais novos embarcaram. O mestre de Espadas Duplas, por fim, entra na embarcação e coloca  a muda da árvore que seria transportada junto a eles para outra terra. Estou junto a ela.
- aonde vamos?
- Confie em mim! Vai ser seguro. Seja sempre assim! Uma bela flor! Uma árvore de raiz forte. Nos separamos aqui. Mas nesse horizonte infinito a gente se esbarra novamente? Combinado?



- Mas! Você promete? Vai estar comigo novamente?
Ele se levantou e dirigiu-se até Lassur:
- Todos nós sempre nos encontramos de novo! Somos a eternidade. Somos uma grande família. A responsabilidade é sua agora Lassur. Proteja com sua vida! Vou descer e deter nossos inimigos. Te ensinei tudo que poderia ensinar.
- Não faça isso! Venha conosco! Podemos escapar dessa confusão sem problemas! Afinal somos os mais fortes!
- Engana-se. Nós perdemos. Mais uma vez erramos. Desafiamos a Natureza. Nós não nos importamos o suficiente com o equilíbrio que deveria existir entre os planos de existência. Foi tarde que aprendemos a conciliar mente, corpo e espírito. Se ainda há algo a fazer  .. é agora no meu caso.
- Não entendo!
- Sharrel não é o único que causou isso .. quase todos nós aceitamos as ideias dele. E ele sempre foi meu amigo. Se ele não tivesse feito aquela aposta que perdi .. jamais teria conhecido Ronin e Sátira, muito menos os elementais da ilha. Um mundo diferente teria sido encoberto dos meus olhos. Mesmo em lados opostos .. ele é meu amigo. Vou lutar com ele e tentar até o ultimo momento para que veja e aprenda.
O Mestre das Espadas Duplas, saiu correndo sem olhar para trás... Lassur não teve tempo de pensar em nada e só observou  seu mestre e grande amigo, corajosamente desaparecer de nossa visão.
( Continua)
Esta continuação eu ja havia visto algumas vezes sem entender .. mas agora se ligaram de forma unica.


This post first appeared on Grade Cristalina De Gaia, please read the originial post: here

Share the post

o Fim da Ilha de Mú

×

Subscribe to Grade Cristalina De Gaia

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×