Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

LEVITA? SERÁ MESMO?


Interessante como alguns cristãos que seguem a linha do "evangelho judaizado" têm utilizado cada vez mais termos, nomes, expressões e títulos pertencentes ao judaísmo, em suas congregações.

Claro que em sua extensa maioria, esses termos, nomes, expressões e títulos, são apenas uma forma equivocada de "sair da rotina evangélica", já que não existe a menor possibilidade de uma compactuação sincera e verdadeira entre os dois segmentos "religiosos", uma vez que o cristianismo acredita na existência da Trindade, o Deus Trino (Pai, Filho e Espírito Santo), enquanto os judeus não acreditam na Trindade.

Desde já, deixo bem claro que não tenho nada contra os judeus, e como cristão entendo a importância do judaísmo para o cristianismo. Mas é preciso esclarecer que judeus não são cristãos e cristãos não são judeus. Uma vez que isso fica bem claro, fica mais fácil identificar, pela ótica cristã, os excessos cometidos pelos "cristãos-judaizados".

Reforço mais uma vez a ideia de que nada tenho contra os judeus. Tenho um grande amigo a quem considero demais (M. Damas) que é um judeu, nascido e criado em Israel, com quem já conversei várias vezes sobre esse mesmo tema.

São inúmeras as tentativas de algumas dessas igrejas de trazer o judaísmo para dentro do cristianismo, como se fosse algo totalmente natural, com festas, utensílios, expressões, vestimentas e títulos.

Como se trata de um assunto bem vasto e complexo, resolvi me deter apenas ao tema que mais tem me incomodado, como músico que sou, que é o uso do título "Levita" se referindo exclusivamente aos músicos das igrejas (como se apenas aqueles com prática musical pudessem ser considerados “Levitas).

Há anos tenho percebido isso nas igrejas, e ao meu ver, o uso desse termo só serve para aumentar consideravelmente a responsabilidade dos músicos das igrejas (como se já não fosse algo de imensa responsabilidade).

Nessas igrejas o termo "músico" praticamente se tornou algo negativo, pejorativo, pois define a pessoa que se dedica a prática musical e não a quem se dedica a prática da adoração a Deus (como se adoração se tratasse apenas de música e não de um estilo de vida).

Então o título "Levita" foi adotado pelas igrejas "evangélicas-judaizantes" para caracterizar aqueles que são responsáveis pela música nas igrejas (Eclesiastes 1:2).

Mas será que ser Levita, para os Judeus do Antigo Testamento, era ser apenas músico, ou existe algo mais nessa história?

Vamos ver no Livro de Números, quem eram realmente os Levitas:

"O Senhor disse a Moisés: Mande chamar a tribo de Levi e apresente-a ao sacerdote Arão para auxiliá-lo. Eles cuidarão das obrigações próprias da Tenda do Encontro fazendo o serviço do tabernáculo para Arão e para toda a comunidade. Tomarão conta de todos os utensílios da Tenda do Encontro, cumprindo as obrigações dos israelitas no serviço do tabernáculo. Dedique os levitas a Arão e a seus filhos; eles serão escolhidos entre os israelitas para serem inteiramente dedicados a Arão.
Encarregue Arão e os seus filhos de cuidar do sacerdócio; qualquer pessoa não autorizada que se aproximar do santuário terá que ser executada.
Disse também o Senhor a Moisés: Eu mesmo escolho os levitas dentre os israelitas em lugar do primeiro filho de cada mulher israelita. Os levitas são meus, pois todos os primogênitos são meus.
Quando feri todos os primogênitos no Egito, separei para mim mesmo todo primogênito de Israel, tanto entre os homens como entre os rebanhos. Serão meus. Eu sou o Senhor! (Números 3:5-13)".

Ao analisarmos esse texto bíblico, fica bem claro que para ser um levita é necessário:

1 - Ser da tribo de Levi;

2 - Cuidar das obrigações da Tenda do Encontro (trazendo para os nossos dias: Igreja, Templo);

3 - Tomar conta de todos os utensílios da Tenda do Encontro;

4 - Ser dedicado a Arão e a seus filhos;

5 - Ser escolhido entre os israelitas para ser inteiramente dedicado a Arão;

6 - Ser filho primogênito de uma mulher israelita.

Obs: (Quem afirma isso não sou eu, mas sim o texto bíblico).

Olhando para esses seis pontos eu pergunto:

Em alguma dessas igrejas, existe alguém que se enquadre nesse perfil?

Em sua igreja existe alguém que se enquadre nesse perfil?

Você que se auto-intitula "Levita", se enquadra nesse perfil?

Você que se classifica ou é classificado como levita, se enquadra nesse perfil ou apenas em um desses seis pontos?

Vejamos que ser um instrumentista sequer está incluído aos seis pontos principais que definem e classificam um verdadeiro levita; apesar de que tocar um instrumento, com certeza era uma das tarefas dos Levitas, mas não a principal, como temos visto nos atuais "levitas".

Além disso, Jesus Cristo é da linhagem da tribo de Judá e não de Levi. Isso tira completamente de nós a ideia de que somos levitas ou de que no meio de nós existam levitas. Existem sim músicos que se dedicam, se ofertam a Deus e vivem uma vida de adoração ao Eterno Deus.

Também não podemos nos esquecer que no ano 70 d.C., o Templo de Jerusalém foi destruído e junto dele, todas as funções religiosas, que passaram a ser desempenhadas nas Sinagogas, pelos Fariseus, ou seja, o serviço do templo foi extinto.

Isso deixa bem claro que a função de levita deixou de existir há centenas de anos.

Mas o que me deixa mais intrigado com isso tudo é perceber que muitas dessas igrejas que, equivocadamente, insistem em chamar os músicos de levitas, o fazem não apenas em uma tentativa falha de tentar “recosturar” o véu que foi rasgado, mas também para exigir desses músicos uma conduta irrepreensível e uma postura de submissão levítica, que os impedem de questionar as atitudes erradas ou equivocadas de seus líderes para com eles e com a igreja, o que consequentemente levará o "levita" a ser visto como um insubmisso, levando-o a ser punido por seu líder ou líderes, fazendo com que esse "levita" seja mal visto pela congregação a qual pertence, como alguém que questiona o seu líder. Como se questionar o líder fosse um pecado ou algo assim (mas isso é assunto para um outro texto).

O mais controverso em toda essa história é ver que os mesmos líderes que cobram uma postura levítica de seus músicos, ao mesmo tempo não cumprem com as obrigações de prover o sustento desses levitas, como a própria Bíblia determina. Irônico, não?

Ou seja: Cumpra os seus deveres de levita, mas não receba o sustento como um levita.

Claro, fazer apenas o que convém, interpretar a Bíblia como convém e aplicar a Bíblia apenas naquilo que convém, é uma prática muito comum  em algumas igrejas. Infelizmente.

Cabe a cada músico determinar se ele é um músico ou um levita. Claro que, independente de seu posicionamento em relação a esse assunto, é necessário respeitar a decisão tomada por cada músico, favorável ou contrário ao termo levita.

Se você é músico, seja um músico esforçado, que estuda, que se prepara, que leva a música a sério, pois sabe muito bem quem é o alvo de sua adoração.

Se você se considera um levita, veja se você se enquadra nos seis pontos bíblicos expostos nesse texto. Mas independentemente desses seis pontos, estude, seja um músico que busca a excelência musical e a excelência diante de Deus. lembrando sempre de respeitar aqueles que pensam diferentemente de você.

Acho linda a história do povo de Israel, mas prefiro viver conforme o cristianismo, através dos ensinamentos de Jesus que nos orienta a viver de forma honesta, sincera e irrepreensível.

(Daniel Gummi A. de Souza)


This post first appeared on Blog Do Daniel Gummi A. De Souza, please read the originial post: here

Share the post

LEVITA? SERÁ MESMO?

×

Subscribe to Blog Do Daniel Gummi A. De Souza

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×