Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

O Perigo da Superficialidade


Foi Francisco de Assis quem afirmou que "O homem vale pelo que é diante de Deus e nada mais". Para Deus, seus filhos batalhar para alcançar um padrão: Ser santo em toda a maneira de viver (I Pedro 1:15) Esse padrão não uma conquista comum em nossos dias. A maioria abraça um cristianismo superficial. Muitas vezes as ações estão completamente distantes da confissão. Não é admirável que o cristianismo evangélico moderno esteja sofrendo tantas divisões? Isso ocorre, porque a carnalidade impera no evangelicalismo moderno. Jesus advertiu que nem todos os clamam "Senhor! Senhor!" entram no reino dos céus. Em outras palavras, a simples crença divorciada da ação verdadeira, não produz verdadeira fé. a fé nos conduz para um+ caminho certo, talvez um caminho radicalmente oposto ao nosso ponto de vista, mas é um caminho certo, não de acordo com os nossos olhos, mas de acordo com os olhos de Deus, que por sinal, tem um alcance infinito.
Jesus denunciou a religião superficial dos fariseus, seu grito ecoa pelos seculos e chega até nós nessas palavras: "Este povo se aproxima de com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração esta longe de mim"(Mateus 15:8). Essa era a realidade de uma religião que parecia transmitir tanto zelo, mas que era completamente rasa. Paulo também denunciava a superficialidade dos falsos mestres : "Confessam que conhecem a Deus a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis e desobedientes para toda a boa obra" (Tito 1:16). Não é admirável que tanto Cristo quanto Paulo falam sobre o equilíbrio de nossas ações com as nossas crenças?  Steve Gallagher, afirma algo interessante no livro "Liberte-se das Paixões deste Mundo"  ele descreve a fé cristã assim: "O cristianismo sempre foi uma questão de coração. Deus tem um jeito de ver se as atividades religiosas procedem de uma consagração interior profunda(Amos 5:18 a 24) O Verdadeiro cristianismo começa e termina no coração. A fé fraca revela compromisso fraco, Jesus disse que muitos recebem a palavra com alegria, mas se desviam quando a sua fé é provada" A Fé cristã começa sempre de dentro para fora, ela revoluciona toda a nossa vida, por dentro e por fora. Mas se as coisas não estiverem corretas a partir de dentro, tudo ficará errado exteriormente. Quando Jesus fala sobre a ação sobre a fé, ele declara que essa é a condição para que Deus em sua plenitude faça morada dentro de nós (João 14:15 a 26). Uma fé superficial é nebulosa, nem sempre uma confissão forte representa uma ação radical. Se você estudar a vida de Pedro, ele parecia ter uma fé completamente firme, era o discípulo da revolução espiritual. Você descobre que pedro usava uma espada, não sei quantas vezes ele usou essa arma, mas no momento crucial da traição ele estava lá armado, para cortar a cabeça dos opositores do messias. Eu não sei qual era a intenção de Pedro, mas desconfio que ele acreditava que Cristo ia começar uma revolução armada, para proclamar a independência de Israel e libertação a nação do jugo pesado do império romano. Quando ele percebeu que o império romano e a religião judaica estava triunfando sobre o Cristo, e que ele estava a caminho da cruz, sua fé potencialmente arrojada, tornou-se fraca, ao ponto de negar a Cristo pelo menos três vezes. Aqui está algo que precisamos aprender, a fé pode apresentar uma força desequilibrada que quebra-se diante das adversidades. Eu creio que é isso que está acontecendo em nossos dias. Tudo parece radical. fala-se em adoração radical, fé radical, mas não conseguimos mudar o Mundo. O impacto do cristianismo ocidental sobre a sociedade ocidental é uma vergonha. Ao invés de confrontar os valores mundanos, adotamos princípios mundanos para tentar ganhar o mundo. é uma adaptação traiçoeira. Que não levará os cristãos a uma firmeza real, quando vierem as adversidades reais. O hedonismo e o materialismo tem se infiltrado na igreja moderna, enquanto no outro lado mundo, os mártires doam a sua vida em troca da sua fé, e garanto que nosso tempo uma igreja perseguida, vive uma série de martírios, tal como era nos primeiros seculos, e a mídia não mostra isso, porque não é do interesse das agencias de noticias mundanas, promover a fé cristã, e sim combate-la. Estamos nós do lado de cá fazendo do cristianismo uma festa. Não sei se a igreja ocidental está preparada para uma perseguição global, mas cada vez que tento compreender a escala da decadência do mundo e da igreja, acabo cedendo a conclusão que mais cedo ou mais tarde, a igreja vai sofrer um duro golpe do mundo caído, e assim como começou a historia da igreja assim terminará a historia dela sobre esse mundo que jaz no maligno. Erwin Lutzer afirma : "Enquanto a nossa cultura deriva para o paganismo, nós como cristãos, tememos o sofrimento que pode vir no nosso caminho. Tal sofrimento, ou de fato, qualquer sofrimento por Cristo em nossa cultura é, em grande parte, desconhecido por nós. No entanto, outros países não tem sido isento, na verdade, há mais pessoas morrendo por sua fé em face de culturas hostis e regimes políticos do que em qualquer época da historia. Talvez a nossa hora chegue também"
 Infelizmente a igreja ocidental está adotando uma espiritualidade doentia, a performance da vida cristã moderna, é um culto antropocêntrico, quase sempre a tendencia é centralizar nossas emoções e fazer com que nossas reuniões sejam um lugar onde se possa receber alivio psicológico. Um mundo potencialmente enfermo e uma igreja oferecendo o remédio errado. Um mundo doente, enfermo por causa do pecado, e uma igreja que ao invés de chamar o mundo ao arrependimento, chama os enfermos espirituais a serem felizes com uma vida divertida e prospera, isenta de problemas e tribulações.

Pr Clavio Juvenal Jacinto


This post first appeared on Pr C. J. Jacinto, please read the originial post: here

Share the post

O Perigo da Superficialidade

×

Subscribe to Pr C. J. Jacinto

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×