Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

“GUERRA DE TRINCHEIRAS”

“”Porque EU, o SENHOR Teu Deus, Te Seguro pela Mão Direita e Te Declaro: Não Temas, Eu Te Ajudarei…” (Isaías 41.13,19)

No verão de 1914, os combatentes partiam para uma “Guerra Jovial” de alguns meses, mas foram quatro anos de combate. As Trincheiras eram simples buracos cavados na frente de batalha. Inicialmente, as trincheiras eram simples, com uma linha de frente cavada com pás e picaretas, dois instrumentos que em breve se tornariam companheiros inseparáveis. Seguiam um traçado sinuoso para evitar os disparos e eram protegidos com sacos de areia e cercas de arame farpado para impedir o avanço do inimigo, situado algumas vezes a apenas dezenas de metros. O dia a dia nestes buracos eram infernais. Para sustentar as paredes era preciso escorar a madeira com terra. Isto era particularmente complicado em terrenos úmidos onde as chuvas enchiam as trincheiras e favoreciam a transmissão de doenças.

Na verdade, os soldados passavam mais tempo vigiando do que lutando contra o inimigo. Isso gerava uma guerra de nervos e um desgaste psicológico imenso aos combatentes. A Guerra das trincheiras teve início em 1914 durando até 1918. “Por mais de dois anos ambos os lados em combate avançavam menos de 15 quilômetros tanto numa como noutra direção”, afirma o historiador americano John Guilmartin Jr., da Universidade de Ohio. Os campos de batalha onde ficavam as trincheiras eram um lamaçal constante e um lugar extremamente perigoso. Estudos indicam que quase 35% de todas as baixas sofridas na Frente Ocidental foram de soldados mortos ou feridos quando estavam numa trincheira.Esta vida insana dentro de um buraco de lamas era insuportável, enlouqueciam muitos soldados que, desesperados, saíam da trincheira para ser mortos pelo inimigo.

A vida de cada jovem valia a glória de sangue das perturbadoras cenas de guerra, ainda bastante atuais, e a frieza e a crueldade das ordens e a tirania que nasce dentro de conflitos armados. Será que a lama que mata não tira a respiração e um punhado de lágrimas dos olhos no mundo? Os adolescentes de 15 anos eram colocados em buracos cavados na frente de batalha, que além de penúria, e dos ratos, conviviam com o cheiro de morte. Entre as linhas de trincheiras havia um espaço chamado de “Terra de Ninguém”. Transitar por essa zona significava ser alvo de disparos de todos os lados.  Mas, a lama transmite uma Verdade.  “Eu, o SENHOR, a guardo e, cada momento, a regarei; para que ninguém lhe faça dano, de noite e de dia a guardarei”. (Is.27,3)

O profeta Jeremias é lançado em um poço de lamas. Ele poderia morrer sufocado, pois, jamais conseguiria sair sozinho. A Bíblia usa a figura da lama para falar de situações difíceis na vida: “EU, o SENHOR….Quando se lê o Livro de Jeremias, ninguém presta atenção ao que está sendo falado. Jeremias está alertando uma Nação dos perigos que estão prestes a acontecer. Nos últimos dias o egoísmo dos seres humanos chegará a níveis extremos. A busca pelo poder, dinheiro e pelos prazeres da carne, alcançarão patamares jamais vistos, e o amor de muitos se esfriará. Projetos suntuosos serão constantes, e, preferem a força de um combate pelo magnetismo pessoal,  ao campo magnético da força pelo bem que emana do SENHOR: “DEUS É AMOR….”  Jogaram o profeta no poço de lama pela ganância, e de toda a tragédia trazida pelo próprio ser humano, a força indica violência. Quem está preocupado com jovens dentro de trincheiras, morrendo pela força da lama?”Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é AMOR.” (1 Jo 4.8)

Quem está na lama, por qualquer motivo ou razão, precisa de ajuda para sair de lá. Era o caso de Jeremias. Apareceu um estrangeiro, um etíope, que o auxiliou quando seus conterrâneos o haviam colocado naquela situação. Ele resolve o problema com trapos e roupas usadas, pois, não bastava atirar a corda ao profeta; era preciso garantir que ele sairia ileso. No confronto entre trincheiras, é tempo de “resgatar” as vidas que estão presas em lamaçais. Encorajamento é entrar na “Terra de Ninguém” é não ter medo, mesmo sabendo que vai ser difícil conquistar o território. Quando todos fugiram ou ficam contando quantas pessoas morreram nesta guerra, é preciso entrar em alção e ter atitude de um valente como Jeremias. Não haverá mais morte dos adolescentes neste país, pois, existe uma Força Armada combatendo e ajudando os jovens que estão na lama precisando de uma Mão estendida para socorrê-lo. Amor é um Campo Magnético como imãs, unem as pessoas. “Sejam fortes e corajosos, não tenham medo nem fiquem apavorados por causa deles, pois o SENHOR, o Seu Deus, vai com vocês; nunca os deixará, nunca os abandonará.” (Dt 31.6)

[email protected]: “MÔNICA DRUZIAN”

Ref:

Dicionário Bíblico



This post first appeared on Jonas Goes's Blog | Igreja Do Evangelho Quadrangul, please read the originial post: here

Share the post

“GUERRA DE TRINCHEIRAS”

×

Subscribe to Jonas Goes's Blog | Igreja Do Evangelho Quadrangul

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×