Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

Toda verdade sobre a Indústria da Pornografia

      Contada por uma ex: atriz de filmes pornô, Shelley Lubben.



















Todos os textos aqui postados foram traduzidos pelo Google Translate (então,erros são inevitaveis)

ATENÇÃO!!: As imagens a seguir podem 

ser fortes....

Se 

VOCÊ É DE MENOR ou de alguma forma 

se sentir 

"lesado" com o tema por favor não leia!!
"

Por Dr.Judith Reisman
http://drjudithreisman.org/

A primeira vez que assisti Shelley Lubben foi no YouTube no início de 2009. Uma 
"ex-estrela pornô", que criou a Cruz-de-rosa (www.thepinkcross.org), uma instituição de caridade pública para  ajudar os "trabalhadores da indústria adulta, oferecendo apoio emocional, financeiro e de transição para os que quiser abandonar a pornografia." No  YouTube, Shelley descreve sua vida passada e seu trabalho atual. 

Como uma estudiosa e conhecedora de pornografia e prostituição, eu não esperava nada de novo a aprender assistindo o testemunho público de Shelley Lubben. 
Eu estava errada.....Shelley descreve toda violência sexual e degradação da pornografia moderna. Foi um choque,... mesmo para mim. Isso me fez pensar que fazia sim, todo sentido ouvir dela que tinha deixado o "economicamente gratificante" Titulo de "estrela pornô" para retornar a um modo seguro de vida.
Assim, através do relato de Shelley  ficou claro que o "glamour" da pornografia é apenas uma máscara:

Shelley hoje e antes como a "porn star",Roxy.


Segundo o relato, você tem que fazer o que eles querem nos "sets de filmagens"!!. Eles (produtores) não percebem a degradação humana que provocam. . . .Nem sequer perguntam se algo está errado com essas garotas. . . . trabalhadores(as) entram de “cara” nas drogas para entorpecer-se. Isso alivia, quando sentem seus corpos rasgados (sexo anal). . . .Essas atrizes inevitavelmente contraem  HPV e herpes, e logo   se desligam emocionalmente". Morrer precocemente torna-se o destino dá maioria delas.

Shelley, diz que as mulheres perdem totalmente sua identidade e vivem envolvidas com drogas e álcool. Elas não podem planejar, poupar o seu dinheiro, ou comer corretamente. As sobreviventes (que chegam a velhice) geralmente tem como recompensa doenças sexuais e "próteses de silicone" para lembrar de sua vida na pornografia.

Na sua autobiografia, Shelley relata que teve uma vida difícil , sofreu abusos na infância e aos dezoito anos apresentava tantos problemas comportamentais que recebeu a ordem final dos familiares : "disseram-me para sair de casa aos 18 anos."

Shelley saiu vagando e desembarcou no vale de San Fernando, sem comida e sem dinheiro. "Um homem me viu e percebeu que eu estava chateada e disse o quanto lamentava. Eu não me importava mais. . .Assim eu me vendi para um “programa” por US $ 35 Dólares. "

Assim, Shelley entrou na vida da prostituição, mas o dinheiro, jóias e presentes logo incluiu sexo bizarro com estranhos que perseguia ela, cortaram os pneus de seu carro, e ameaçavam matá-la se ela recusa-se a realizar certos atos sexuais. Um homem tentou matá-la com seu caminhão, e ela muitas vezes tinha que mentir e despistar seu caminho para evitar situações assustadoras de assedio. Durante seus oito anos como dançarina exótica e prostituta ela teve dois abortos e um parto. Tiffany a filha cresceu ao lado de "[...] uma mulher lasciva selvagem."
Shelley, ainda jovem já era mãe solteira ". Jesus continuou a tocar meu coração", escreve Shelley, "mas eu ignorei. Então eu tive que fazer o que eu podia para sobreviver. "

A maioria de seu dinheiro na prostituição foi para drogas e álcool, para tentar apagar os traumas de sua vida. Para evitar estupros e prisões por prostituição ( nos E.U.A é crime), ela foi para a pornografia porque "parecia mais seguro e legal." No entanto, mesmo a prostituição não envolve os tipos brutais de estupro e degradação que ela sofreu enquanto estrela pornô nos filmes. Logo ela foi obrigada a fazer muitas cenas de hardcore (sexo violento).

Eu vendi o que restou do meu coração, mente e feminidade à indústria pornô, e a mulher que vivia em mim morreu completamente no set pornô. "Depois de se tornar infectada com herpes, eu deixei a indústria pornográfica, mas voltei à prostituição para sobreviver” .

O Resgate

Em 1994 Shelley conheceu seu marido Garrett em um bar. No início, ela recusou sua amizade, mas, quando ela finalmente aceitou e os dois saíram, eles se tornaram amigos instantaneamente. Garret foi criado em um lar cristão e tinha frequentado uma escola cristã. Ele queria resgatar Shelley. Ela diz: "Ele era um amigo e eu uma prostituta”. Os dois Casaran-se em 14 de fevereiro de 1995”. "


Shelley e mãe de três filhas, leva uma mensagem de transformação para prisões, TV, rádio, cinema, conferências e missões de resgate. Foi convidada pela  FOX-News para dar entrevistas. Sua mensagem é de desmascarar a indústria pornô. Para Shelley a industria pornô dos E.U.A  é cheia de mentiras e enganos e vício. Para ela as mulheres que se voltam para a indústria pornô para fazer dinheiro "provavelmente não cresceram ou tiveram uma infância saudável".


"Quase todos os artistas pornográficas foram abusadas sexualmente quando crianças".

Depois de saber tudo isso, mata nossa fantasia de pornô “Glamoroso”?.

"Pornografia é como qualquer outro vício. . . . Primeiro, você está curioso. Então você precisa de drogas mais pesadas e torna-se mais difícil de sair. Chega uma hora que você precisa de todo tipo de bestialidade e até pornografia infantil."


A família de Shelley
Dr.Judith A. Reisman, PhD e Shelley

Estatíticas do Mundo Porno:


  • Há 4,2 milhões de sites pornográficos, 420 milhões de páginas web pornográficas, e 68 milhões de pedidos diariamente motores de busca. 
  • A Receita pornografia em todo o mundo em 2006 foi de 97,06 bilhões dólares. Desse total, aproximadamente US $ 13 bilhões, foram nos Estados Unidos. 
  • Mais de 11 milhões de adolescentes regularmente vê pornografia online. 
  • O maior grupo a ver pornografia online é de 12 a 17 anos. 
  • Clamídia e gonorreia entre os artistas é 10x maior do que o L.A. County 20-24 anos de idade. 
  • 70% das infecções sexualmente transmissíveis na indústria pornô ocorrem em mulheres de acordo com o Condado de Los Angeles Saúde Pública 
  • Foram 26 casos de HIV relatados por Adult Industry Medical Healthcare Foundation (AIM), desde 2004. 
  • 66% de artistas pornô têm Herpes, uma doença não curável. 
  • Registrou-se 2.396 casos de Clamídia e 1389 casos de gonorréia entre as atrizes , relatados desde 2004. 
  • Mais de 100 artistas hétero e homossexuais morreram de AIDS. 
  • 36 estrelas pornô morreram de HIV, homicídios, suicídios e drogas entre 2007 e 2010.
  • Fonte: http://thepinkcross.org/porn_stats_view


Shelley Lubben - Revela toda a verdade dos "Sets pornô"

"Campanha em frente à uma escola"
O texto a seguir foi retirado do livro "A Verdade por trás da Fantasia da Pornografia", da Ex-atriz pornô americana Shelley Lubben.


Tradução de Rosaine Dalila Scruff

"Sexo empacotado em filmes pornô com loiras quentes em uma cama suja, com um olhar sensual que diz: "Quero você", é a maior ilusão do mundo". 
Confie em mim, eu sei.... Eu tolerei oito anos em clubes de strip e prostíbulos, moldando meu caminho para o Grande Topo, onde a mim foi prometida fortuna, fama e glamour. Eu tinha 24 anos quando entrei no mundo da pornografia.

Eu fui colocada em um bom show, mas eu nunca gostei de truques de desempenho em um circo de sexo e preferia passar o tempo com Jack Daniels (bebida alcoólica) em vez de passar com os artistas do sexo masculino que eu era paga para ser falsa com eles. Isso mesmo, nenhuma de nós, loiras quentes, gostamos de fazer pornô. Na verdade, nós odiamos isso. Nós odiamos nossas pernas se abrindo sexualmente para homens doentes. Nós odiamos ser degradadas com seus cheiros ruins e corpos suados. Algumas mulheres odeiam tanto que eu podia ouvi-las vomitando no banheiro entre as cenas. Podia encontrar outras pessoas fora, fumando cadeias intermináveis de Marlboro Light.

Mas a indústria multi-bilionária do pornô quer que você acredite na fantasia de que as atrizes pornô adoram sexo. Eles querem que você compre a mentira de que nós gostamos de ser degradadas por todos os tipos de atos repulsivos. Filmes editados de forma criativa e embalagens bonitinhas são projetados para fazer uma lavagem cerebral nos consumidores, e fazê-los acreditar que a luxúria retratada nos rostos quentes e incomodados, faz parte do ato. Mas a realidade é que as mulheres estão com uma dor indizível por ser espancadas, estapeadas, cuspidas, chutadas e xingadas, como “prostitutazinha suja” e “banheiro de gozo.”


Enquanto filmava o filme “Sexo Bruto 2”,  a estrela pornô Regan Starr descreve em termos horríveis em uma entrevista à revista Talk Magazine em fevereiro de 2001, “que enquanto atos sexuais eram realizados, ela era espancada e sufocada até que não conseguia respirar”. Outras “Atrizes”, disse ela, “choraram porque estavam sendo machucadas profundamente.” (1)

A ex-atriz pornô Jersey Jaxin também descreveu o tormento e o abuso, que ela experimentou no set pornô. “Os caras te socando em seu rosto. Você tem sêmen em todo o seu rosto, em seus olhos. Você é machucada. Suas entranhas podem vir para fora. É interminável. Você é vista como um objeto e não como um ser humano com um espírito. As pessoas não se importam. As pessoas usam drogas porque não conseguem lidar com a maneira como estão sendo tratados.” (2)

 Há uma razão pela qual as drogas e o álcool são abundantes na indústria pornô. Becca Brat, que realizou mais de 200 filmes, disse-me quando ela deixou o pornô em 2006, “Eu saí com um monte de gente da Indústria Adulta, todas as meninas tinham contratos para ser atrizes de pornô gonzo . Todos tinham os mesmos problemas. Todos usam drogas. É um estilo de vida vazio tentando preencher um vazio.” (3)
O ator pornô Christian XXX também fala abertamente sobre o uso de drogas generalizado. Ele escreveu em seu blog em janeiro de 2008, “Eu tenho visto todos os tipos de drogas no set, nas festas, nos carros, em todos os lugares. Se eu tivesse que adivinhar, eu colocaria o uso da maconha a 90% por todas as pessoas envolvidas na indústria (atores, diretores, equipes, agentes, motoristas, proprietários, trabalhadores de escritório, etc.) Eu estava filmando com uma garota que morreu DURANTE uma cena de sexo comigo (ela havia abusado de OxyContin ). Recentemente uma menina teve overdose de GHB  (droga de festa que é uma droga, clara e inodoro que não combina com o álcool) no set. Eu vi uma garota ganhar uma premiação no Prêmio AVN, e não apareceu para receber o prêmio, e depois caiu nas garras das drogas, o que a levou a perder pelo menos 22kg e deixar a face da terra.”(4)
De fato, a pornografia pode literalmente matá-lo. Desde o ano 2000, houve pelo menos 34 mortes relacionadas com drogas entre atores. (5)
Drinks oferecidos como vodka e batidas de Percocet, anestesiam as mulheres o bastante para suportar atos sexuais ásperos de extrema humilhação. Quando o álcool não é suficiente a dor gira ao redor do vício, estrelas pornôs são enviados aos médicos locais em conspiração com a indústria pornográfica para receber prescrição de Vicodin, Xanax, Valium e outros medicamentos anti-ansiedade para ajudá-los a lidar com o trauma.

A ex-atriz pornô, Michelle Avanti lembra-se de sua primeira cena e como ela foi conduzida ao abuso de drogas por prescrição. “Eu tentei voltar atrás e sair do pornô, mas um ator disse que eu não poderia voltar atrás, porque eu havia assinado um contrato. Fui ameaçada de que se eu não fizesse a cena eu seria processada em uma enorme quantia em dinheiro. Acabei até tomando doses de vodka para fazer a cena. Como eu fazia mais e mais cenas, abusei da prescrição de pílulas que eram dadas a mim a qualquer momento por diversos médicos em San Fernando Valley. Me foi dado Vicodin, Xanax, Norcos, Prozac e Zoloft. Tudo que eu tinha que fazer era dizer a eles o que eu precisava, e eles me dariam qualquer coisa que eu quisesse.”(6)
Acha que estou exagerando sobre as operações da sombria indústria do pornô? Pense novamente. Graças à Internet que mostra no ABC 20/20, confissões de estupro, abuso de drogas e violência que estão se tornando cada vez mais públicas. A estrela pornô, Belladonna disse a Diane Sawyer: “Eu sempre odiei pornô”, confessou ela, que conta que enquanto se preparava para uma filmagem que achava que seria uma cena de sexo regular. Em vez disso, o diretor lhe pediu para fazer sexo anal. De acordo com a rede de televisão, ela tinha acabado de completar 18 anos. Poucos meses (e várias cenas) mais tarde, já uma veterana atriz pornô, Belladonna apareceu em outro estúdio. Ela foi informada de que apareceria em uma cena de estupro por uma gangue em uma prisão, e que seria compartilhada entre doze homens diferentes. Novamente, ela tentou sair. Mais uma vez, ela foi “convencida” a continuar.( 7)

Mas, você pergunta: “Não são as mulheres que escolhem fazer filmes pornô?”
Com base nas imagens sexuais com que fomos alimentados à colheradas pela TV, revistas e Internet, com certeza nós escolhemos. No começo dos anos de 1970, quando aprendemos a sair perseguindo nossos caminhos, desde nossas estrelas favoritas como Doc no The Love Boat todo o trajeto pelo Desperate Housewives da ABC, sendo os mais populares programas entre as crianças em 2005. (8) Sem mencionar "glamourosas" imagens de pornografia de pelúcia sendo enfiadas em nossas goelas abaixo. Não é surpresa que as crianças da América, que foram muito bem preparadas em imoralidade sexual há mais de 40 anos, acabam no MySpace ou Facebook baixando imagens sensuais de si mesmas. Onde mais poderia uma criança que foi hiper-sexualizada ter tanta atenção?

Mas os olheiros da pornografia ficam à espreita pesquisando online por anos os perfis e predando as fêmeas sexualizadas desavisadas. Fingindo ser adolescentes ou admiradores do sexo masculino postam palavras lisonjeiras como, “você é a garota mais bonita” ou “você é tão quente”, e as adolescentes emocionalmente carentes rapidamente caem em sua armadilha. Alguns elogios mais tarde e uma boa oferta financeira, e nos encontramos em pé no meio de um escritório de agentes pornô ouvindo sobre “modelagem nu” e sexo anal. “Você será a próxima estrela pornô mais quente, se você fizer anal”, o agente pornô faz promessas ao entregar o contrato, enquanto uma loira de peitos grandes no canto da sala pisca para nós.

Dentro de alguns dias nós somos enviadas para a clínica médica da Indústria Adulta para fazer o teste de doenças sexualmente transmissíveis. De braços abertos e sorrisos calorosos, somos recebidas por equipes médicas acolhedoras e com calmas garantias de que nós seremos “mantidas seguras.” (9) À medida que começamos a nos sentir melhor sobre tudo, ouvimos atentamente outras estrelas pornô que compartilham suas dicas sobre como fazê-lo grandiosamente na terra do pornô. “Apenas relaxe o pescoço e respire pelo nariz. É muito divertido e fácil uma vez que você pega o jeito.” Nunca há qualquer educação adequada sobre outras doenças sexualmente transmissíveis como no vídeo Pornô 101, que eu saiba, nenhum de nós jamais o assistiu. O engano é comum em todo o processo de preparação.

Alguns de nós, contraimos HIV como resultado desse engano grosseiro. (10) O ator pornô, Darren James lembra seu pesadelo de testes positivos de HIV em 2004, “Foi como um golpe no estômago”, disse James. “A vida era muito mais bonita.” (11)
A Dra. Sharon Mitchell, “doutora” para as estrelas pornô, pois anda por aí com um jaleco branco e não tem um diploma de medicina, afirma que entre os atores há, “menos de 7% de HIV, e de 12% a 28% têm DSTs. Herpes é sempre cerca de 66%. Clamídia e gonorréia, no entanto, juntamente com a hepatite, parecem se ater aos vibradores e superfícies planas para as mãos, por isso, perdoe a minha expressão, mas nós estamos até nossos traseiros com a Clamídia.” (12)


Mas a indústria pornô cresce até seu traseiro em muito mais do que isso de acordo com o Departamento de Saúde Pública de Los Angeles (DSPLA). Em Setembro de 2009, o DSPLA publicou relatórios surpreendentes de 2.396 casos de clamídia, 1.389 casos de gonorréia, e cinco casos de sífilis entre artistas pornô. Entre 2004 e 2008, repetidas infecções foram relatadas por 25,5% dos indivíduos. Também foi relatado que a prevalência de clamídia e gonorréia em artistas pornô é dez vezes maior em Los Angeles entre os contados com a idade de 20 a 24 anos e cinco vezes maior na Cidade de Los Angeles entre as maiores populações de risco.
 No topo disso, 25 casos de HIV foram relatados pela Adult Industry Medical Healthcare Foundation (AIM) – (Fundação de Saúde Médica da Indústria Adulta) desde 2004. AIM é a clínica médica da indústria adulta que oferece serviços de testes e cuidados médicos exclusivos a estrelas da pornografia. Devido à falta de clínicas de testes para os talentos das telas, as infecções retais, orais e um nível elevado de doenças, persiste entre atores pornô. (13)

Além de ser coagidas, enganadas e repetidamente expostas a doenças incuráveis e potencialmente fatais, muitas mulheres experimentam graves prejuízos nas partes internas do corpo. A ex-atriz pornô Kami Andrews confessa que ama o dinheiro e o glamour do pornô, mas o que ela não gosta é o fato de que não está sendo capaz de defecar normalmente.
Você está constantemente fazendo enemas e você está jejuando e está
tomando todas essas pílulas diferentes, e laxantes, e isso desparafusa seu sistema interno.” (14)
O trato intestinal é apenas o início de extremos danos corporais graves causados por atos anais. A experiência de muitas mulheres com outras doenças médicas, tais como prolapso do reto, uma condição terrível em que as paredes do reto se projetam para fora do ânus e, conseqüentemente, tornam-se visíveis fora do corpo. Eventualmente, o dano torna-se permanente - para o prazer da torcida de pornógrafos bestiais que têm criado uma maneira de transformar essa condição inominável em um “fetiche”.
Quando as estrelas pornô terminam um dia e vão para casa com machucados e os corpos sangrando, algumas de nós faz uma tentativa de ter um relacionamento saudável e normal, mas o nosso namoradinho cafetão fica com ciúmes e abusa fisicamente de nós. Então, ao invés disso nos casamos com nossos diretores pornô ou regredimos de volta à infância e ficamos com os titios de 60 anos de idade. Eu preferia os titios porque eu desesperadamente queria o amor e a atenção do meu pai. Jenna Jameson, Jill Kelly, Rita Faltoyano, e Tera Patrick preferiram se casar dentro da indústria pornô e agora são todas vítimas do que a estrela pornô Tera Patrick chama de “maldição da pornografia.” Ela afirma em seu livro sobre o divórcio: “Eu não queria ser outra estatística do pornô.” (15)

Estrelas pornô não apenas não são boas esposas, mas nós miseravelmente falhamos como mães também. Nós gritamos, gritamos e batemos em nossos filhos sem nenhum motivo. Na maioria das vezes estamos intoxicadas ou altas, e os nossos pequenos de quatro anos de idade são os que recolhem nossos corpos sem vida que estão largados no chão.
Quando nossos clientes com grandes dólares veêm até nós para serem entretidos por nossos truques, trancamos nossos filhos em seus quartos e dizemos-lhes para ficarem quietos. Eu costumava dar à minha filha de quatro anos, um Bip e a fazia esperar no parque até que eu tivesse acabado. Para aquelas de nós que somos casadas, o papai não se importa de ser a babá das crianças enquanto estamos em nosso trabalho, que é ser penetrada por vários artistas do sexo masculino. Claro que não, nossos maridos narcisistas, só se preocupam com o dinheiro do pornô.

A verdade é que não há fantasias na pornografia. É tudo uma ilusão. Um olhar de perto e mais atento nas cenas da dura realidade da vida de uma estrela pornô vai mostrar-lhe um ato que a indústria pornô não quer que você veja. O verdade é que nós, atrizes pornô queremos acabar com a vergonha de nossas vidas e o trauma da bilheteria, mas não podemos fazer isso sozinhas. Precisamos de vocês homens, para lutar por nossa liberdade e nos devolver a nossa honra. Precisamos de vocês para manter-nos em seus braços fortes, enquanto nós soluçamos em lágrimas sobre as nossas feridas profundas e imploramos a cura. Nós queremos que você jogue fora nossos filmes e nos ajude a juntar os fragmentos quebrados de nossas vidas. Precisamos de você para orar por nós, para que Deus ouça e repare nossas vidas arruinadas.

Não acredito na grande fantasia do Topo. Pornografia é nada mais do que sexo falso, contusões e mentiras em vídeo. Confie em mim, eu sei.


"Estrelas Pornô falam sobre: 
DST, Drogas e Abuso Sexual!

Porn Star Belladonna: 

"99,9% da indústria pornô tem Herpes. Contrai Herpes à cinco anos."



Porn Star Becca Brat que fez mais de 200 filmes, diz:
"Eu sai com um monte de gente no setor de filmes adultos, todos contratantes de garotas para gonzo (filme de baixa qualidade) . Todo mundo tem os mesmos problemas. É um estilo de vida vazio tentando preencher um vazio." "Tornei-me horrivelmente viciada em heroína e crack. Eu tive  overdose pelo menos 3 vezes, a única razão de eu ainda estar aqui é Deus. Olhando para trás, eu estava tão infeliz. Como eu poderia ter deixado alguém me convencer  dizendo que era uma coisa boa ? Uma vez que você entrar na indústria e você está trabalhando para ganhar a vida, você não vê nenhuma saída. Torno-me  Brat Becca, à estrela porno.  "É uma pessoa diferente de mim."




Entrevista com a Porno StarMary Careypor Luke Ford:
"Quando estou sóbria, eu fico mais ansiosa. Quando você está sóbrio, você é forçado a lidar com a realidade. Fico ansiosa sobre todas as coisas que eu tenho para fazer. Quando eu estava com Tawny (amigo) o tempo todo estávamos bêbados.....  todos os dias, eu não fazia nada. Eu acordava de ressaca e preparava-se para beber mais. Erá uma ótima maneira de fugir da realidade. Quando estou bêbada, eu gasto muito meu dinheiro. Mas quando estou sóbria, eu não quero fazer isso. " Quando estou sóbria me lembro de quando eu estava no colégio e quando eu tinha um grande teste (prova) chegando, eu sempre ficava nervosa. Quando estou sóbria, eu tenho esse nó no meu estômago fico nervosa durante todo o dia, porque eu estou pensando sobre todas as coisas que eu preciso fazer.  Isso sobrecarrega minha mente. Quando estou bêbada, eu não me preocupar com nada.


Porn Star Jenna Presley:

"Qual a percentagem de pessoas na indústria que você acha que tem um problema com drogas ou álcool?"

Jenna: "Eu acho que 90% da industria pornográfica usa drogas ou álcool, mas talvez 70% incluem maconha como uma droga mais leve.... Para mim, o problema é quando a droga afeta sua vida profissional.




Porn Star Erin Moore:
 "Há sempre drogas (set filmagem), cocaína, maconha, Valium, Vicodin e álcool". Dou Graças a Deus ainda estar aqui viva!!"



Porn Star Masculino afirma em seu blog "Christian Sings the Blues" 28 de janeiro de 2008:
 As drogas são um problema, mais importante na industria porno. Quem disser o contrário está mentindo para você. Eu não posso te dizer o número de meninas que desapareceram ou caíram fora do negócio por causa de seus problemas de droga. É incrivelmente triste pensar, e ver alguns deles cairam em uma espiral sem volta. Mas, eu acho que todos nós podemos concordar que uma grande maioria de usuários de drogas nunca vão mudar a menos que obtenha ajuda profissional.  Tenho visto todos os tipos de drogas no set, nas festas em todos os lugares. Se eu tivesse que enumerar colocaria o uso da maconha a 90 por cento de uso das pessoas envolvidas na indústria porno (artistas, diretores, equipe técnica, agentes, motoristas, proprietários, trabalhadores de escritório, etc.) Eu estive em uma filmagem onde uma garota passou mal durante uma cena de sexo comigo (ela estava abusando oxycontin). Recentemente uma menina teve uma overdose de GHB (droga de festa que é o flagelo do Texas, uma droga clara e inodor que não se mistura bem com álcool) no set. Eu vi uma menina ganhar um prestígio (Prêmio AVN), não aparecem para receber o prêmio, em seguida, caiu na agonia do uso de drogas, que a levou a perder muito quilos e desaparecer da face da terra.
Porque o uso de drogas tão prevalente em nosso negócio? Bem, vamos descobrir isso?. Primeiro de tudo, lembre-se que o negócio é povoado em grande parte com as meninas com idades entre 18-21 anos. E a maioria dessas meninas tem baixa escolaridade (muitos não terminaram o ensino médio). Acrescente a isso o fato de que muitas vêm para o negócio porque não têm dinheiro, e estão trabalhando em trabalhos braçais, como locais de "fast food". Então você tem meninas com muito pouco dinheiro entrando no negócio.
Uma vez que eles estão no negócio, elas  fazem 10 mil dólares por mês e trabalhar talvez 5 horas por dia 10-15 dias por mês.  Há cafetões  lá fora, que podem cheirar essas meninas e as atacam como tubarões. Jovem, meninas sem educação com muito dinheiro, muito tempo livre, e muito pouco supervisionadas. Esta é uma equação muito ruim (a menos que você é um traficante de drogas é claro).
Mas eu sou apenas uma artista. Eu sou pago para fazer sexo com essas garotas, não psico-analisá-las, ou dar-lhes conselhos. É uma luta que muitas vezes não se envolver, mas, você tem que manter-se fora. Eu aprendi isso da maneira mais difícil com Katie Gold. Só espero Velicity encontra a força para superar seus demônios.


Porn Star Jesse Summers escreveu em seu blog do myspace:
Entrei nas drogas e álcool e o dinheiro de pornô apoiaram o meu hábito.



Porn Star Regan Estrela descreve em entrevista à revista Talk em Fevereiro de 2001:Enquanto filmava Sexo BrutoII  em condições  horríveis, Ela disse que, atos sexuais foram realizadas sobre ela, ela foi atingida e sufocaram até que ela não conseguia respirar. Outras "atrizes", disse ela, choravam porque estavam sofrendo profundamente. No mesmo artigo, uma estrela de filme de sexo observa como o trabalho ameaça a saúde das performers '."Quase todo mundo tem DSTs [doenças sexualmente transmissíveis]",  "o seu mais recente teste de HIV é a sua autorização de trabalho. ...  outras doenças podem passar despercebidas " Você sabe se estou agora com hepatite? "


Porn Star Bardoux Rebecca afirma:
"Eu sou uma estrela pornô típica," Rebecca Bardoux diz com um sorriso, em Junho de 1997 Erotica LA Convention" "Eu venho de uma família disfuncional. Não nos relacionamos ... Quando eu era menina, eu queria ser uma garota de programa".



Em abril de 2004, Lara Roxx pegou HIV de Darren James em um conjunto Boy TT. :Em uma entrevista com Luke Ford ela afirma:
Luke:"O que você acha do trabalho AIM (Medicina Indústria Adulto) fez por você"
Lara: "Eu não acho que eles são treinados para lidar com uma pessoa que apenas teve a notícia de que eles são HIV-positivos Ela [Sharon Mitchell] estava tentando apressar-me com a medicação, sem me conhecer.
Luke: "Foi a primeira vez que você tinha feito um filme de dupla penetração anal ?"
Lara:  ". Sim"
Luke: "Você estava em uma posição financeiramente desesperado nessa hora?"
Lara: ". Sim, eu estava desesperada."




Porn Star Rollings Elizabeth lembra um filme com 25 caras:
[...] de pé lá estava eu, com fluidos corporais em cima de mim (esperma) e as pessoas queriam tirar fotos.
Meu corpo estava dolorido e nos próximos dias. Duas semanas depois eu não estava bem mentalmente. Eu não era capaz de usar o banheiro direito(defecar)." Meu sistema intestinal foi totalmente desarrumado (pelo sexo anal). "


Alex Devine 06 de março de 2006 em Extremegirlforum.com:
"Donkey-Punch" foi cena mais brutal, deprimente e assustadora que eu já fiz. Tentei bloqueá-lo da minha memória devido ao abuso severo que recebi durante as filmagens. O cara, Steve francês tem um ódio natural contra as mulheres, no sentido de que ele sempre foi conhecido por ser o ator mais brutal. concordei em fazer a cena pensando que iam me bater devagar. Eu realmente parei a cena , porque eu estava com muita dor me machucaram muito. "





Porno Star Tianna Lynn admite no site Luke Ford:
"Eu tentei pornô um ano e meio atrás por três semanas. Eles [meu agente DK] tinha reservado para mim tudo o que eu não queria fazer. Eu estive internada no hospital três vezes. Alérgicas aos lubrificantes e quase tive o meu colo do útero rasgado.



Jersey Jaxin diz em entrevistas com Luke Ford e Lubben Shelley:
"Estou cansado da indústria. A maneira que eles te tratam como se estivéssemos apenas um pedaço de carne. Que não tem uma mente e nosso corpo é de todo mundo e não temos alma."
"levamos tapa na cara. Você tem sêmen de muitos homens em todo o seu rosto, até nos seus olhos. Você pode ser rasgada (fissura anal ou prolapso). Você é vista como um objeto e não como um ser humano com um espírito. "
"Há médicos específicos nessa indústria se você ir para um resfriado comum, eles lhe darão vicodin, viagra, tudo o que quiser, porque tudo o que importa é o dinheiro. Você é um número. Você está machucada. Você tem olhos pretos, não importa".
"A principal coisa por aí é um cristal de metanfetamina, cocaína e heroína. ... Você tem que entorpecer a si mesmo para ir em conjunto. Quanto mais você trabalha, mais você tem para entorpecer-se. Quanto mais você se tornar viciada, mais a sua  vida pessoal nada vale.
"Eu bebia muito. Bebi muito. Vodka foi a minha primeira droga. Vodka era o meu brinquedo entorpecente. Antes do sets de filmagens, e depois também."






Jenna Jameson diz em seu livro que a pornografia tem armadilhas mais do que quase qualquer outra ocupação:
Jenna Jameson escreve em seu livro (pag 132): "Drogas é a manutenção de uma fronteira entre seu trabalho e vida privada. Ainda Jenna Jameson escreve em seu livro: "A maioria das garotas recebem sua primeira experiência em filmes gonzo (baixa qualidade) - em que elas são levadas a um estúdio de baixa qualidade em Mission Hills e a penetram em cada buraco possível,  de uma forma totalmente abusiva . E a essas meninas dizem que elas têm um grande potencial para se tornarem grandes estrelas da indústria cinematográfica."



Porn Star Sierra Sinn afirma em entrevistas a Luke Ford e Lubben Shelley:
"Minha primeira cena foi uma das piores experiências da minha vida. Foi muito assustador. Foi uma cena muito difícil. Meu agente não me deixou saber antes do tempo ... eu fiz... e estava chorando e eles não deixaram parar foi muito violento. Ele estava me batendo. Doeu. Ele (diretor) me assustou mais do que qualquer coisa. Eles não iriam parar. " ."As drogas são enormes. Eles estão usando viagra. É antinatural. E as meninas estão abusando dos antidepressivos".


Ex Porn Star Kami Andrews diz em entrevista  a  Luke Ford:
"Eu amava o dinheiro o glamour. Eu gostava de ser reconhecida. Eu gosto da atenção. O que eu não gosto é de não ser mais capaz de evacuar naturalmente em meu banheiro .Para as cenas de sexo anal estamos constantemente a fazer enemas (lavagens intestinal) e estamos jejuando. E você está tomando todas essas pílulas diferentes, ex: laxantes desregula todo o trato intestinal. "

Kami Andrews fala em uma entrevista com Shelley Lubben:
Qual é a pior parte de ser uma atriz pornô?
Pensar que você não é nada. Nunca acredite que você é a estrela, pois você é apenas um brinquedo
Qual é a melhor parte de ser uma atriz pornô?
Você ganhar mais dinheiro do que você poderia de outro modo.
Existe realmente o uso de drogas de 90% como atriz pornô Jenna Presley e reivindicar os outros?
Eu só posso falar da minha experiência pessoal, eu diria 90% é o uso de drogas, mas é apenas pelo que eu vi.
Como prevalentes são DST na indústria pornô?
Muito.
Como prevalentes são abortos na indústria pornô?
Eu tive um


Porn Star Melissa Lauren Luke estados no site da Ford:
O que você gosta e o que você odeia sobre a indústria?
"Eu odeio as pessoas estúpidas que são irresponsáveis ​​e transam com estranhos sem preservativo, sem testes. Eu odeio todas as doenças sexualmente transmissíveis. Odeio que a maioria das garotas são viciadas  na mer... das drogas.




A História da Ex-Estrela Porno

Elizabeth Rollings


Anteriormente conhecida como Elizabeth Rollings, deixou pornô em outubro de 2007 e partilha a sua história em uma entrevista à Shelley Lubben.


Como você entrou na indústria do sexo? 
ER: Eu estava no meu primeiro filme por causa de um anúncio que eu respondi. Eu precisava de dinheiro e parecia fácil de fazer, então, eu pensei, por que não? Eu sabia que era errado, mas eu precisava de dinheiro rápido e é claro que foi legal, né?. Então eu fiz o filme e nunca disse a ninguém até que meses mais tarde quando eu decidi fazê-lo em tempo integral. 
Conte-nos sobre sua infância. 
ER: Minha mãe e meu pai se divorciaram quando eu tinha três anos. Meu pai era um pai de fim de semana. Nós nunca tivemos muita coisa, mas, minha mãe sempre tentou que minha irmã mais velha e eu estuda-se-mos.
Quando eu estava na 8 ª série foi quando todo o problema começou, e eu comecei a notar os meninos. Havia um monte de gangues e brigas de gangues e por isso eu precisava de proteção.
Eu estava em um mundo de problemas quando eu conheci "Candyman". Candyman era um gangster e me ofereceu proteção e muita atenção. Ele me levou para casa para conhecer seus pais. Eu confiava nele e achava que ele me amava. Ele me amarrou e me estuprou. Esta foi a minha primeira experiência sexual. Quando ele terminou, ele me disse que se eu disse-se alguma coisa pior poderia acontecer a minha família e amigos. É Logo Gangues começaram a perseguir nossa família.
Na escola para ficar feliz  fumava cigarros tinha relações sexuais com meu namorado. Aos 17 anos fugi de casa. Meu namorado e eu estávamos morando no porão na casa de um amigo de  infestados de ratos, fiquei grávida. Logo perdi minhas esperanças de se tornar uma enfermeira para se tornar uma mãe e esposa. . Me casei com meu namorado e tivemos três filhos juntos.
O que te levou para a indústria do sexo? 
ER: Eu trabalhei fora e em algum momento tive dois empregos para compensar a preguiça do meu marido.  Ele nunca quis trabalhar. Eu comecei me prostituir aos 19 anos e eu trabalhei para uma mulher que tinha cerca de 50 meninas que trabalham para ela.  Eu fiz massagem,  topless e dominatrix (dominaçao -sadismo) trabalhei assim por dois anos. Eu também perseguia a carreira de modelo, porque sempre foi uma paixão minha ser modelo mesmo sendo gordinha. Meu marido sabia o que eu estava fazendo e o trabalho sexual  e ele não se importava. 
Eu e meu marido nos divorciamos em 2004, por razões óbvias. Meu estresse financeiro cresceu e cresceu.  Eu tinha ido para a igreja um par de vezes mas, para mim não era suficiente. Senti-me como uma mãe horrível e não provedora. Eu fiz o meu primeiro pornô depois de responder a um anúncio no Craigslist. Eu me senti envergonhada e sexy ao mesmo tempo. Mesmo que o dinheiro era bom, eu não tinha intenção de fazer outro. 
Eu acabei fazendo cerca de 40 filmes, 20 sites +, 3 revistas, três exposições, incontáveis ​​entrevistas on-line e, finalmente, meu próprio website.
Eu tinha mais e mais pedidos para fazer filmes de "fetiche". Depois de muita pressão de produtores de pornografia, eu finalmente cedi e fiz um filme com 25 rapazes. Eu nunca pensei que eu teria feito algo parecido. Eu me senti enojada e violada, mas, o que eu ia fazer?. Eu era bem paga para isso, e precisava do dinheiro desesperadamente. 
SL: Como foi fazer um filme com 25 homens ? 
ER: foram dois dias. Eu bebia muito um dia antes do filme. Quando cheguei no set eu me senti muito mal  do estômago. Eu queria virar e correr quando entrei pela porta e vi todos os atores pornô masculinos e equipe de filmagem . Eu ficava dizendo a mim mesmo: "esta vai ser apenas mais uma cena. Você pode fazê-lo." Eu queria quebrar e chorar, mas eu me escondi atrás do meu sorriso falso. 

Durante o filme que eu mentalmente e emocionalmente check-out e senti como se eu morri.  Não me lembro muito bem a dor e trauma que eu passei. Depois que ele terminou, todos queriam tirar fotos comigo e pegar meu autógrafo. Lá estava eu ,de pé com fluidos corporais (semem) em cima de mim e as pessoas queriam tirar fotos comigo. Foi horrível. Meu corpo estava dolorido nos dias depois eu não estava bem mentalmente . Eu não era capaz de usar ao banheiro direito (defecar). Meu sistema interno foi totalmente desarrumado. 


SL: Você mentiu para seus fãs e clientes? Que mentiras que você disse a eles? 
ER:  É claro que eu menti para meus fãs. Eu os levei a acreditar que eu vivia uma vida de fantasia que era muito longe da verdade. Eu alimentei em suas fantasias.
SL:  Você estava exposta a drogas e álcool? 
ER:  Sim, a primeira vez foi no 2006 AVN Porn Convenção depois da festa.  Eu não fazê-las, mas vi outras estrelas pornô usando drogas.
SL: Em sua experiência, quantas estrelas pornôs ou outros trabalhadores do sexo usar drogas e álcool? 
ER: Em torno de 90%.  Torna-se uma rota de fuga à realidade, um período de férias temporárias de tudo. 
SL:Qual foi a pior coisa sobre a indústria do sexo? Ou uma pior experiência para você? 
ER:O sentimento de que você não está no controle de sua própria vida. Você tem que enviar para outras pessoas (produtores, agentes, etc.) Não importa o quão importante você pensar que você é, você não está no controle. Ser chamado de puta e ser informada que era tudo faz parte do negocio.Os homens fazem coisas nojentas conosco, eu tinha que fazer e parecer como se eu estivesse curtindo cada minuto. Eu odiava tudo isso. 
SL: Onde estava Deus quando você estava na indústria do sexo? 
ER: No meu coração e no meu subconsciente, puxando as cordas do meu coração, dolorosa e pacientemente espera. Muitas vezes Deus me salvou do mal, especialmente de doenças sexualmente transmissíveis. 
SL: Por que você deixou a indústria do sexo? 
ER: Eu deixei porque eu estava à beira do suicídio. Eu odiava que eu tinha me tornado. Eu odiava olhar no espelho. eu odiava ter qualquer "real" relacionamento com as pessoas e, mais importante que eu estava desesperada atenção. 
SL: Onde você está agora na reconstrução de sua vida? 
ER: Eu estou lutando com finanças e eu não sei como minhas contas vão ser pagos, aluguel, comida, suprimentos, mas sei que Deus é fiel e eu não volto novamente a essa vida.

Atrizes e Atores "Porno", mortos precocemente, vítimas de:


Suicídio, Álcool, Drogas e outras causas:







This post first appeared on Service Unavailable, please read the originial post: here

Share the post

Toda verdade sobre a Indústria da Pornografia

×

Subscribe to Service Unavailable

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×