Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

Presença de mosquitos capazes de transmitir o vírus da febre amarela, em região do entorno da Serra da Caiçara – Alagoas.

 Serra da Caiçara – Alagoas.
 Serra da Caiçara – Alagoas.

Os Mosquitos do gênero Haemagogus foram encontrados no mês de maio de 2017 em localidades do entorno dos municípios de Maravilha, Ouro Branco, Santana do Ipanema e Poço das Trincheiras.





A Secretaria de Estado da Saúde – SESAU, por intermédio da Gerência de Vigilância e Controle de Doenças Transmissíveis – GEDT, em articulação com o Instituto do Meio Ambiente – IMA, por meio da Gerência de Fauna, Flora e Unidades de Conservação – GEFUC, disponibiliza esta NOTA INFORMATIVA a título de alerta sobre a presença de mosquitos do gênero Haemagogus na região da Serra da Caiçara, no Sertão alagoano. 




Sobre o Haemagogus

Haemagogus


O mosquito do gênero Haemagogus pode transmitir a Febre amarela em ambientes silvestres. No Brasil, as espécies mais frequentes são Haemagogus janthinomys e Haemagogus leucocelaenus, insetos considerados vetores primários da forma silvestre da doença, uma vez que suas características genéticas, biológicas e comportamentais são favoráveis para a transmissão, tornando-os capazes de desencadear e manter a circulação do vírus. O Haemagogus pode ser encontrado em florestas de Norte a Sul do país1 . 


Sobre os achados


Os mosquitos do gênero Haemagogus foram encontrados durante a realização de atividades de rotina para monitoramento da presença de vetores transmissores de doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela. O trabalho foi realizado durante o mês de maio de 2017 em localidades do entorno dos municípios de Maravilha, Ouro Branco, Santana do Ipanema e Poço das Trincheiras.



Sobre o risco de febre amarela 


A febre amarela é uma doença infecciosa viral que pode se apresentar em dois tipos de ciclos: (i) Ciclo silvestre quando uma pessoa é infectada pelo vírus da doença em áreas de mata, após ser picada por mosquitos dos gêneros Haemagogus ou Sabethes que contraem o vírus após se alimentarem do sangue de primatas não humanos (PNH) 2 (macacos, micos, saguis) doentes e posteriormente transmitem às pessoas que adentram a mata e que não sejam vacinadas. (ii) Ciclo urbano Ocorre quando determinada pessoa com o vírus é picada por mosquitos do gênero Aedes, em ambiente urbano, após este se alimentar de sangue de uma pessoa já portadora do vírus. A pessoa quando infectada é capaz de transmitir os vírus aos mosquitos no ato de alimentar-se do sangue humano, mesmo que a pessoa ainda não apresente sintomas da doença e até cinco dias depois do surgimento dos sintomas da doença. Os PNH, ou seja, macacos, micos e saguis NÃO transmitem a febre amarela para os humanos. Os mosquitos são os ÚNICOS transmissores da doença. Os PNH, na verdade, são considerados animais bioindicadores, ou seja, são os primeiros a sinalizar a presença do vírus da febre amarela caso a infecção se instale em determinada região. Daí ser fundamental para a vigilância da febre amarela identificação de PNH doentes ou mortos com informação imediata sobre esses achados ao setor saúde, a fim de que sejam adotadas medidas de investigação.



Sobre os cuidados a adotar para adentrar a Serra da Caiçara 


A Serra da Caiçara possui vegetação característica do bioma caatinga de caráter denso, caracterizando um ambiente adequado para sobrevivência e manutenção dos vetores identificados no local. Assim, em razão da presença de vetores do gênero transmissor da febre amarela na região da Serra da Caiçara a recomendação é de que só acessem a área aquelas pessoas que efetivamente necessitem, evitando-se incursões para turismo ou lazer, até a conclusão da investigação. Quando efetivamente houver essa necessidade as pessoas devem: (i) usar repelentes e (ii) usar roupas que cubram o máximo possível de áreas do corpo. Quando necessário dormir fazer uso de mosquiteiros. 




2Exemplos de PNH: macacos, micos, saguis.



FONTE:

Instituto do Meio Ambiente – IMA Gerência de Fauna, Flora e Unidades de Conservação – GEFUC Secretaria de Estado da Saúde – SESAU Superintendência de Vigilância em Saúde – SUVISA Gerência de Vigilância e Controle de Doenças Transmissíveis – GEDT 

NOTA INFORMATIVA (GEDT nº 34 – 4 de julho de 2017) Assunto: Presença de mosquitos capazes de transmitir o vírus da febre amarela, em região do entorno da Serra da Caiçara – Alagoas

Para informações adicionais contatar: Na GEDT: Daniele Castanha: telefone 98833-4104. ([email protected]) Na GEFUC: Epitacio Correia de Farias Jr : 99332-0374 ([email protected])


This post first appeared on Alagoas Real |24h Notícias De Maceió,al, please read the originial post: here

Share the post

Presença de mosquitos capazes de transmitir o vírus da febre amarela, em região do entorno da Serra da Caiçara – Alagoas.

×

Subscribe to Alagoas Real |24h Notícias De Maceió,al

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×