Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

Indigestão - quando o estômago reclama



A indigestão, medicamente chamada de dispepsia, é um termo genérico para classificar um conjunto de sintomas que se manifestam após a ingestão de alimentos, como: dilatação gástrica, mais ou menos pronunciada, ruídos abdominais (borborigmos), cólicas, flatulência, náuseas ou vómitos. Um dos sintomas mais típicos é a
azia. Este sintoma é o resultado da subida do ácido clorídrico pelo esófago, que sendo desprovido de mucosa protectora, provoca a sensação de queimadura e ardor. Por vezes a inflamação do esófago origina uma dor intensa, dando a sensação de que a pessoa está a ter um ataque cardíaco.

A anatomia do estômago não permite que o ácido clorídrico suba para o esófago, graças ao seu esfíncter (cárdia), que apenas abre para a passagem do bolo alimentar para o estômago. Quando este fechamento está comprometido, existe a tendência de o ácido subir pelo esófago. As grávidas, os obesos e os fumadores têm este esfincter mais relaxado, o que mais facilmente permite a subida do ácido. Certos produtos contribuem para a indigestão, como o café, chocolate e o álcool. A roupa apertada na cintura aumenta a pressão sobre o abdómen, impelindo o contéudo do estômago para cima. Comer em demasia produz muito ácido por muito tempo. O stress e a ansiedade, talvez sejam o que mais contributo dão para o relaxamento e enfraquecimento do músculo do esfíncter esofágico. 

Como sintomas indicativos de indigestão temos: sensação de ardor atrás do esterno (osso que fica ao centro da nossa caixa torácica), com duração variável; sensação de ardor na garganta ou regurgitação de fluído quente e amargo; flatulência ou eructação (arrotos), dilatação e/ou ruídos abdominais; náuseas ou vómitos; dor abdominal e mau estar que piora na posição de deitado.

Consulte imediatamente o médico se tiver dores duas ou mais vezes por semana, pois pode indicar a presença de úlcera, problemas de fígado ou vesícula biliar; se for difícil engolir os alimentos ou se ficarem retidos ne esófago; se vomitar ou tiver fezes negras; se a dor no peito for mais do tipo opressão do que ardor, ou até acompanhada de dificuldade em respirar, tonturas ou suores, ou irradiar para o braço ou maxilar (pode tratar-se de um ataque cardíaco)

O que fazer?

Existem plantas medicinais e suplementos que ajudam bastante no alívio da indigestão.

O gengibre tem propriedades antiespasmódicas que o tornam útil nas cólicas estomacais. Pode tomá-lo em cápsulas após cada refeição, colocá-lo nos seus cozinhados e até fazer uma infusão e beber morno, trinta minutos após a refeição.

Clique no link para saber como se prepara uma infusão.
https://pelaminhasaude.blogspot.com/2010/01/preparacao-de-chas.html

A camomila tem boas propriedades como digestivo e calmante do estômago. A melhor forma é tomar em infusão, junto com o gengibre, se assim preferir, depois de cada refeição.

As enzimas digestivas são um bom auxiliar na indigestão, pois ajudam mais rapidamente a concluir a digestão, levando o estômago a produzir menos ácido (ver mais informação no final deste texto).

As sementes de funcho, embora mais conhecidas em casos de flatulência, ajudam também a acalmar os espasmos e as náuseas. Para este efeito mastigue e engula 1 colher de chá de sementes de funcho. Caso prefira pode optar por sementes de alcaravia.

Junte em partes iguais sementes de alcaravia, funcho e anis e coloque 1 colher de chá desta mistura em 250 ml de água a ferver durante 2 ou 3 minutos. Coe e reparta esta por duas ou três tomas diárias, antes de cada refeição.

Use o alcaçuz, de preferência desglicirrizado (isto é, não tem o princípio activo glicirrizina), para proteger e reparar a mucosa do estômago e do esófago. Este tipo de alcaçuz, é mais eficaz quando misturado com saliva, pelo que, se deve dar preferência sob a forma de bolachas ou rebuçados. Se sofre de hipertensão arterial, não tome alcaçuz puro, que contém glicirrizina, pois pode fazer subir a tensão e é incompatível com certos medicamentos diuréticos prescritos.

O sumo de Aloé Vera é também um bom protector do estômago e anti inflamatório, acalmando a irritação do estômago.

Certas vitaminas do grupo B, como colina, ácido pantoténico e tiamina, quando combinadas, ajudam no tratamento também. Tome durante um mês.

A margaça-das-boticas é usada tradicionalmente para as perturbações do estômago, relaxando e aliviando as cólicas.

Coloque 1 colher de bicarbonato de sódio num copo com água e beba. Esta solução neutraliza o ácido ajudando a aliviar os gases que provocam enfartamento e cólicas. Por vezes o bicarbonato pode produzir excesso de gás no estômago, pelo que se aconselha a colocar umas gotas de limão para ajudar a dissipar parte do gás antes de este chegar ao estômago. Não faça uso prolongado deste tratamento com bicarbonato, e muito menos se está a fazer uma dieta com baixo teor de sal (sódio).

O carbonato de cálcio pode ser uma opção ao bicarbonato, pois é um dos componentes dos anti ácidos comercializados. Tome numa dosagem de 250 mg a 500 mg três vezes ao dia. 


O mais importante a fazer!

Mais do que tomar suplementos, plantas ou medicamentos, é avaliar os seus hábitos de vida. São eles que o levam à indigestão. 

Para que este texto não fique muito extenso e cansativo à leitura, entre no link aqui indicado 
https://pelaminhasaude.blogspot.com/2012/12/estomago-cuide-bem-dele.html 
e veja todas as recomendações que certamente ajudarão a melhorar bastante a sua indigestão.

Veja também este link para a saúde em geral 
https://pelaminhasaude.blogspot.com/2014/10/os-8-remedios-naturais.html


A Alimentação

O nosso estômago é um saco que recebe alimentos, e nem todos os alimentos que recebe são bem vindos, pois provocam irritação e inflamação, causando a indigestão. Nesta afecção devemos aumentar o consumo destes alimentos:

Germinados - contêm enzimas que fazem pré digestão dos hidratos de carbono, proteínas e gorduras que se encontram na semente.

Cereais integrais -  a cevada, a aveia, o arroz, centeio e trigo sob a forma de flocos ou de papas, são bem tolerados pelo estômago delicado e formam como uma capa protetora do estômago.

Saladas - devem acompanhar sempre o prato principal. Elas preparam o estômago para receberem outros alimentos, ao mesmo tempo que estimulam os processos digestivos. Não use vinagre para temperar.

Abóbora - protege e suaviza a mucosa, além de neutralizar o excesso de acidez. Recomenda-se consumir sob a forma de puré.

Papaia - por conter papaína, uma enzima que digere as proteínas, torna-a útil para a indigestão, sobretude se a dieta é mais carregada em proteínas de origem animal ( mais dificeis de digerir).


Outros factos

A indigestão pode dever-se á insuficiência na produção de ácido. Se não tem azia, e sofre de dores estomacais periódicas e de dilatação, eructação e flatulência a seguir às refeições, pode dever-se à não produção de ácido. Experimente um suplemento que contenha enzimas digestivas como bromelaína, papaina, amilase, betaína e pepsina, e tome a todas as refeições durante um mês. Se suspeita, ou tem úlcera, não tome complexos enzimáticos que contenham betaína, pois pode agravar. Se no final de um mês os sintomas não aliviarem, consulte o médico.


Consulte este link se pretende adquirir enzimas digestivas. Para usufruir de 20% de desconto, coloque no campo "tem um código de desconto?" o código - minhasaude
https://migreenclub.com/tienda/pt/probioticos-e-prebioticos/166-enzy-complex-sobres-8436581031744.html











This post first appeared on Pela Minha Saúde, please read the originial post: here

Share the post

Indigestão - quando o estômago reclama

×

Subscribe to Pela Minha Saúde

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×