Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

ENGIE e Itaú firmam parceria para compensação estratégica de emissões

A Engie e o Itaú firmaram parceria no projeto de créditos de carbono do Complexo Fotovoltaico de Floresta da ENGIE, que permitirá ao banco compensar 86 mil toneladas de CO2 de suas emissões de gases de efeito estufa (GEE) relativas ao biênio 2016/2017. Para efeito de comparação, esse montante serviria para compensar a emissão média anual de cerca de 33 mil brasileiros, de acordo com dados do Banco Mundial considerando a emissões de CO2 per capita no Brasil em 2014.

O projeto da ENGIE foi selecionado através do Edital Compromisso com o Clima para Compra de Créditos de Carbono, uma iniciativa do Itaú e Natura, com o apoio do Instituto Ekos Brasil, por gerar reduções de emissões de GEE, aderir às melhores práticas do mercado de carbono e resultar em benefícios sociais e ambientais.

O objetivo do Programa Compromisso com o Clima é criar uma rede de organizações interessadas em potencializar suas estratégias de mitigação de emissões de GEE, por meio de iniciativas de baixo carbono e com impactos socioambientais positivos, como empreendimentos nas áreas de Energia, agricultura, floresta e tratamento de resíduos, entre outros.

O Programa busca ainda compartilhar conhecimentos e boas práticas na seleção de projetos socioambientais e contribuir para viabilizar iniciativas de mitigação dos efeitos climáticos. A ENGIE celebra a oportunidade de fazer parte dessa iniciativa e de estrear na plataforma com o seu primeiro projeto.

A compensação voluntária de emissões de Gases de Efeito Estufa é um componente importante para o combate às mudanças climáticas. Por meio dela, novos fluxos financeiros são gerados e aplicados em projetos socioambientais que promovem a transição para uma economia de baixo carbono.

O CEO da ENGIE Brasil, Maurício Bähr, destaca que essa é uma forma da ENGIE contribuir com a transição energética. “Esse projeto, bem como a venda de energia renovável e nossas soluções de gestão, monitoramento e eficiência energética, possibilitam que nossos parceiros descarbonizem total ou parcialmente seus processos produtivos”.

“Cada vez mais empresas buscam mecanismos voluntários para compensar suas emissões de GEE. A ENGIE tem longa história no mercado de carbono e desenvolve ativamente oportunidades para promover projetos de redução de GEE e gerar créditos de carbono, que podem ser oferecidos aos seus clientes”, complementa Bähr.

Esta inciativa está em linha com um dos principais pilares estratégicos da ENGIE, a descarbonização, e acompanha a meta da empresa de ser líder global da transição energética.

 

Sobre o Complexo Fotovoltaico de Floresta

 

O Complexo Fotovoltaico de Floresta situa-se no município de Areia Branca/RN. Com capacidade instalada de 86 MW e em operação desde dezembro de 2017, o projeto gera energia limpa e renovável equivalente ao consumo anual residencial de mais de 350 mil pessoas.

O projeto foi registrado no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) em 2017 e faz parte do chamado “Programa de Atividades Brasileiro para Projetos de Energia Renovável Não-Convencional Incentivados por Ações de Mitigação Nacionalmente Apropriadas”, do qual a ENGIE é participante com este e outros dois projetos solares, além de dois eólicos.

Além de reduzir as emissões de GEE da matriz energética brasileira, o projeto gera inúmeros benefícios socioambientais para a região, incluindo a geração de emprego e renda, a capacitação e o treinamento da população local, a pesquisa e educação na área de biodiversidade, entre outros.

 

Sobre a ENGIE

A ENGIE desenvolve suas atividades (eletricidade, gás natural e serviços de energia) em torno de um modelo baseado em crescimento sustentável a fim de liderar a transição energética para uma economia de baixo carbono: acesso à energia renovável, atenuação e adaptação às mudanças climáticas e uso racional dos recursos naturais. O Grupo fornece soluções altamente eficientes e inovadoras para pessoas, cidades e empresas através do seu conhecimento técnico em quatro setores-chave: energias renováveis, eficiência energética, gás natural liquefeito e tecnologias digitais.

A ENGIE possui 150.000 colaboradores em todo o mundo e obteve receitas de € 65 bilhões em 2017. Cotado nas bolsas de Paris e Bruxelas, o Grupo está representado nos principais índices internacionais: CAC 40, BEL 20, DJ Euro Stoxx 50, Euronext 100, FTSE Eurotop 100, MSCI Europe, DJSI World, DJSI Europe e Euronext Vigeo (World 120, Eurozone 120, Europe 120 e France 20).

No Brasil, é a maior produtora privada de energia elétrica, com capacidade instalada própria de 9.356 MW em mais de 30 usinas, o que representa cerca de 6% da capacidade do país. O Grupo possui 90% de sua capacidade instalada no país proveniente de fontes limpas, renováveis e com baixas emissões de gases de efeito estufa.

A ENGIE também atua na comercialização de energia no mercado livre e está entre as maiores empresas em geração fotovoltaica distribuída. Oferece ainda soluções de eficiência energética, monitoramento e gerenciamento de energia, gestão de contratos de fornecimento de eletricidade, além de sistemas de HVAC, telecomunicação e segurança, iluminação pública e mobilidade urbana para cidades inteligentes, infraestruturas e a indústria de óleo e gás. Contando com 2.300 colaboradores, a ENGIE teve no país em 2017 um faturamento de R$ 7.5 bilhões.



This post first appeared on Blog Amazônia, please read the originial post: here

Share the post

ENGIE e Itaú firmam parceria para compensação estratégica de emissões

×

Subscribe to Blog Amazônia

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×