Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

Mercado livre poderá sofrer com falta de energia incentivada

Mercado livre poderá sofrer com falta de energia incentivada

Da Agência Ambiente Energia – Em estudo concluído na última semana, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) indicou um déficit de cerca de 11 megawatts (MW) médios de energia “incentivada” (proveniente de eólicas, usinas solares, térmicas a biomassa e pequenas centrais hidrelétricas) para 2018.

Segundo a CCEE, o problema ainda pode se agravar com o ritmo de migrações de consumidores para o Mercado Livre. Quase a totalidade desses novos consumidores do ambiente livre é formada por empresas de pequeno porte, com demanda de até 3 MW e que só podem comprar Energia Incentivada – os chamados consumidores “especiais”. É importante lembrar que o desconto na cobrança dos encargos de uso dos sistemas de transmissão e distribuição (Tust e Tusd), a energia incentivada é um dos principais atrativos do mercado livre de energia.

O cenário já preocupa as empresas do setor. O diretor da comercializadora FDR Energia, Erick Azevedo, afirmou que o momento é de cautela na obtenção de novos contratos. “Estamos muito cuidadosos em comercializar essa energia. Já existem projeções que indicam falta [de oferta disponível de energia incentivada] no ano que vem. Isso virou uma barreira para a migração [de consumidores para o mercado livre]”, disse o executivo. Segundo ele, a FDR Energia não está fechando novos contratos de venda de energia incentivada se não tiver volume suficiente para atendê-los.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia Elétrica (Abraceel), Reginaldo Medeiros, uma oportunidade de resolver o problema está na reforma do setor elétrico, em discussão no ministério de Minas e Energia. A entidade defende que a medida provisória que tratará da reforma, prevista para ser publicada determine que seja eliminada de imediato a categoria de “energia incentivada”.

Apesar da previsão pessimista, a CCEE acredita que é possível reverter esse quadro, por meio de mecanismos criados pelo governo para reduzir a sobreoferta das distribuidoras, no mercado regulado, liberando um volume de incentivada maior para ser negociado no mercado livre.

Ambiente Energia



This post first appeared on Blog Amazônia, please read the originial post: here

Share the post

Mercado livre poderá sofrer com falta de energia incentivada

×

Subscribe to Blog Amazônia

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×