Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

100 Jogadores que podem marcar 2019 (1-50)


Então e essa ressaca? Ora bem, para aqueles que hoje ficam na cama ou no sofá mas cuja cabeça nunca dorme quando o tema é futebol, segue-se o nosso Top-50 de jogadores que acreditamos venham a marcar 2019.
    Começámos a nossa centena de escolhas ontem, e prosseguimos com a apresentação deste leque de craques. Importa referir que estes não são aqueles que achamos que venham a ser, ordenadamente, os 100 (50 nesta segunda metade do artigo) melhores jogadores do ano que hoje se inicia (por isso mesmo não surgem alguns dos melhores do planeta como Griezmann, Lewandowski ou Suárez), mas sim cem jogadores que irão marcar os próximos 365 dias por diferentes motivos.
    A que mãos vai parar a próxima Bola de Ouro? Quem serão os maiores destaques da Champions, da Premier e da La Liga? Tudo isto num ano cujo Verão deve ser bastante mais agitado em termos de treinadores (Manchester United, Real Madrid e Bayern poderão "mexer"), o que significa sempre um (ainda mais) alto carrossel de transferências.


1. Lionel Messi (Barcelona) - Ao longo de 2018 nenhum jogador realizou tantos jogos num nível "melhor do mundo" como Messi. Quem vê e sabe ver futebol, conseguindo ser isento, sabe disso. Mais completo do que nunca, o 10 argentino tem sido o superlativo destaque de 2018/ 19: mais golos, mais assistências, mais dribles e mais oportunidades criadas. Tudo isto mesmo tendo estado 3 semanas lesionado. Tem números, joga, faz jogar e melhora todos à sua volta, e tudo isto com uma magia sem igual.
    Estamos convictos de que em 2019 haverá juízo, não se "decidindo" quebrar a hegemonia de Messi e Ronaldo (só um deles podia ter ganho a Bola de Ouro 2018). Não confiamos totalmente no Barça, pesando muito a Champions nos votos para os prémios dourados, mas é uma aposta fácil dizer que nenhum jogador se apresentará tão decisivo, carregando por completo a sua equipa como vem fazendo, ao longo deste novo ano. Aproveitem-no, pois infelizmente não é eterno.

2. Cristiano Ronaldo (Juventus) - Verdadeira lenda viva, 2019 levanta algumas questões sobre o melhor jogador entre os mortais e cada vez mais candidato a melhor jogador europeu de sempre. A conquista da Serie A, na qual deverá ser o melhor marcador, é uma garantia, surgindo depois a questão: transportará CR7 com ele a Champions de Madrid para Turim? Esta Juve é porventura a par do Liverpool a equipa mentalmente mais preparada para o mata-a-mata, e todos sabemos como o "Senhor Champions" se comporta nos jogos a eliminar da sua competição preferida. Finalmente, o tema Liga das Nações deve também proporcionar algum debate sobre a sua convocatória quando não realizou, por opção, qualquer minuto na qualificação.

3. Kylian Mbappé (PSG) - Em 2019 não acreditamos que aconteça uma atrocidade como a vitória de Modric (e atenção, adoramos Modric) no The Best e na Bola de Ouro, surgindo assim Mbappé, Neymar e Salah como principais favoritos, salvo alguma surpresa, a acompanhar Messi e Ronaldo no pódio. Com apenas 20 anos, foi 4.º nos dois prémios. Está na hora de ser bronze.

4. Eden Hazard (Chelsea) - Uma das principais incógnitas de 2019 e potencial novela a continuidade de Hazard em Londres ou a sua transferência para Real Madrid. Uma coisa é certa: entre Hazard, Neymar e Mbappé, um destes deve ser o novo galáctico de Florentino.

5. Neymar (PSG) - Quis mudar de Barcelona para Paris para não estar na sombra de Messi, e actualmente corre o risco de cair na sombra de Mbappé (muito maior probabilidade de arrecadar várias Bolas de Ouro no futuro comparativamente com Neymar). Tem 26 anos, e neste novo ano pode acontecer muita coisa: há Copa América em sua casa, uma Champions em que vários candidatos vão cair logo nos oitavos, e veremos se será ele, o terceiro ou o quarto da nossa lista a nova vedeta do Real Madrid.

6. Mohamed Salah (Liverpool) - Podia perfeitamente ter figurado no pódio da Bola de Ouro 2018 e, depois de um período mais calmo, parece apostado em estar entre os melhores do mundo em 2019. É novamente forte candidato a melhor marcador e MVP da Premier League, assumindo-se como a referência (e nunca se escondendo) da equipa que acabou o último ano civil a respirar maior saúde.

7. Harry Kane (Tottenham) - Considerado o melhor ponta de lança da actualidade por uma falange progressivamente maior de adeptos, é um dos principais candidatos a ser melhor marcador na Premier League (deve ser entre ele, Salah e Aubameyang) e a principal esperança inglesa na Liga das Nações. É habitualmente associado aos grandes espanhóis, mas torcemos para que continue em terras de Sua Majestade em busca do recorde de golos de Alan Shearer.

8. Philippe Coutinho (Barcelona) - Não sendo um craque que rouba atenções e muito mediatismo, será peça-chave ao longo de 2019. Messi precisa que ele sobressaia para o ajudar na Champions e na La Liga, e Neymar e companhia precisam do melhor Coutinho na Copa América. Convém não esquecer que o ex-Liverpool foi o melhor jogador brasileiro no último Mundial.

Imagem relacionada9. Christian Eriksen (Tottenham) - Tal como na frente a lista de compras do Real Madrid deve incidir num craque entre Hazard, Neymar e Mbappé, a meio-campo e com Modric e Kroos a aproximarem-se da reforma, Eriksen pode ser o escolhido. Se Pochettino não ficar no Tottenham, será mais provável que Eriksen também não fique.

10. Frenkie De Jong (Ajax) - É o médio da moda. Guardiola deseja-o no City, mas o holandês parece ter maior vontade de representar o Barcelona (ou ele ou De Ligt, mas dificilmente ambos, devem ir parar à Catalunha). Mas por favor, PSG é que não.

11. Paul Pogba (Manchester United) - Saiu José Mourinho, e Pogba começou a jogar à bola. Escusando-nos de tomar partidos numa situação que, no mínimo e sem margem para dúvidas, evidenciou a falta de profissionalismo do médio francês, acreditamos que 2019 será a hora de Pogba convencer a Premier League e fazer de vários jogos o seu parque de diversões.

12. Paulo Dybala (Juventus) - À imagem de Coutinho, Dybala assumirá em 2019 o papel de escudeiro talentoso da referência. Messi tem Coutinho, Ronaldo tem Dybala. Se D10S e CR7 não forem capaz de aparecer, caberá aos actores secundários assumirem papel principal, sobretudo na Champions.

13. Virgil van Dijk (Liverpool) - As recentes Champions têm entregue a Sergio Ramos a coroa de melhor central do mundo. Porém, 2019 é o momento para Van Dijk reclamar o trono. Continuando as coisas como estão, deve inclusive integrar a shortlist de candidatos a Jogador do Ano na Premier League.

14. David Silva (Manchester City) - Prestes a completar 33 anos, 2019 representa a última ou uma das últimas épocas daquele que é possivelmente o melhor jogador da História do Manchester City. Se os citizens conseguirem recuperar a distância para o líder Liverpool, vencendo o bicampeonato, não duvidem que Silva será forte hipótese para MVP, numa espécie de homenagem prestada pelos jogadores da Liga à qual sempre emprestou a sua classe.

15. Matthias De Ligt (Ajax) - Quem o contratar, passará a ter aquele que será seguramente um dos melhores centrais da próxima década. Preparem-se para o ver surgir na lista de transferências mais caras de 2019, podendo chegar a uns 80 milhões.

16. Mauro Icardi (Inter Milan) - Polémico fora dos relvados, fiel ao Inter dentro das quatro linhas. Aos 25 anos parece estar finalmente a contar para a selecção argentina, podendo ter na Copa América 2019 a sua primeira competição de relevo pela albiceleste. É garantia de golos e por isso mesmo um dos avançados que pode agitar o mercado.

17. Raheem Sterling (Manchester City) - O que tem evoluído Sterling com Guardiola... A época passada marcou 23 golos em 46 jogos, e nesta leva 10 em 25. Não deve demorar a alcançar o nível para marcar 30-35 por época. Falta-lhe sem dúvida "aparecer" mais na Liga dos Campeões.

18. Marco Reus (Borussia Dortmund) - Tão bom vê-lo sem lesões. Sobre ele dizemos apenas isto: apostamos que Reus será eleito o melhor jogador da Bundesliga no final de 2018/ 19.

19. Bernardo Silva (Manchester City) - A aprender de perto com o mago David Silva, o sucessor do espanhol é, não obstante Ronaldo ser a nossa lenda viva, o jogador à volta do qual Fernando Santos deve edificar a Selecção Portuguesa. É possível que surja pela primeira vez no Top-50 da Bola de Ouro este ano.

20. Ousmane Dembélé (Barcelona) - Certamente dos casos mais bicudos de 2019. O extremo do Barcelona tem potencial para dar e vender, mas é um bico de obra viciado em jogos e incapaz de cumprir regras. No novo ano, veremos se os blaugrana o colocam na linha ou são obrigados a entregá-lo ao cuidado de outra instituição.

21. Rúben Neves (Wolves) - Depois de um arranque estupendo, o rendimento de Rúben Neves na Premier League acalmou. O que não acalmou terá sido certamente o interesse de diversos clubes em garantir um dos médios para os quais temos mais expectativas nos próximos anos. Irá ter com Ronaldo à Juventus ou tornar-se o novo menino bonito de Guardiola?

22. Gareth Bale (Real Madrid) - Perante a saída de Ronaldo, o Real Madrid confiou que todos os jogadores (sobretudo Bale, Benzema, Asensio e Isco) subiriam o seu nível, compensando a perda de 50 golos por época. Até agora, os merengues têm sido um fiasco, podendo apenas a Champions (pelo formato de competição a eliminar) ser a salvação. Não acreditamos que Bale consiga carregar a equipa até ao 4º troféu consecutivo, mas queremos vê-lo a tentar.

23. Jan Oblak (Atlético Madrid) - A discussão sobre quem é actualmente o melhor guarda-redes do mundo envolve sempre De Gea, Neuer, Ter Stegen, Courtois, Alisson e Ederson. Aqui entre nós, nenhum bate Oblak. 2019 pode voltar a demonstrar isso, podendo o esloveno ter muita importância no desfecho da eliminatória da Champions entre Juventus e Atlético, na qual damos ligeiro favoritismo à equipa de Ronaldo.

24. Pierre-Emerick Aubameyang (Arsenal) - Com números interessantes (26 golos em 40 jogos) desde que chegou ao Emirates, promete ser a principal arma dos gunners no ataque ao Top-4 e à conquista da Liga Europa. Aquele 14 de Henry está bem entregue, sem dúvida.

25. Nabil Fekir (Lyon) - Este talento sui generis esteve com um pé no Liverpool no Verão passado. Com a equipa de Klopp em permanente crescimento, pode haver nova investida a meio de 2019.

26. João Cancelo (Juventus) - É uma parvoíce ter sido preciso chegar à Juventus para que toda a gente se rendesse perante o seu valor. O Cancelo que hoje vemos a ser, não o MVP desta Juventus (Ronaldo e Mandzukic dividem essa distinção), mas o jogador mais imprevisível e que mais desequilibra na Vecchia Signora é quase o mesmo que brilhou em Valência e Milão. Nós que o defendemos em 2016 e 2018 no onze titular da Selecção Portuguesa, quando não foi convocado para nenhuma das grandes competições, não duvidamos que em 2019 será definitivamente visto como um dos melhores laterais-direitos do mundo.

27. Axel Witsel (Borussia Dortmund) - Depois de encher os bolsos na Rússia e na China, Witsel fartou-se e decidiu jogar à bola. O senhor equilíbrio deste Dortmund, médio de passada larga, deverá ser considerado a contratação do ano na Bundesliga.

Resultado de imagem para rabiot28. Adrien Rabiot (PSG) - De feitio complicado e com a sua mãe sistematicamente intrometida nas exigências feitas aos clubes, Rabiot, menino de berço de ouro, é simultaneamente um médio refinado e uma potencial dor de cabeça para quem o comprar. Sairá a custo zero de Paris.

29. Alisson (Liverpool) - Melhor guarda-redes da primeira volta da Premier League, acima de Etheridge, Patrício e Fabianski, o guardião brasileiro tem mostrado o porquê de Tite lhe confiar a titularidade do escrete, tendo sido igualmente decisivo na fase de grupos da Champions. O Liverpool tem-se dado bem ao ir às compras em Roma (num ano Salah, no outro Alisson) e se os reds festejaram a passagem de ano com apenas 8 golos sofridos em 20 jornadas, muito o devem à serenidade que conseguiu transmitir a todos.

30. Mario Manduzkic (Juventus) - Na Juventus desta época, ninguém tem sobressaído mais do que o trio Ronaldo, Mandzukic e Cancelo. O croata, que tem ganho o hábito de surgir nos grandes momentos e grandes palcos, promete continuar a ser o "novo Benzema" de CR7. Dêem-lhe o crédito e respeito que merece.

31. Éder Militão (Porto) - Quando um defesa com as valências de Éder Militão nos cai no colo, resta-nos aproveitar o momento e vê-lo crescer por terras lusas. É fortíssimo candidato a jovem jogador do ano na Liga NOS, e é praticamente certa a sua transferência para um tubarão no fim da temporada.

32. Luka Jovic (Eintracht Frankfurt) - É fácil adivinhar que em 2019 o promissor sérvio representará dois clubes. O Eintracht tem uma opção de compra fixada pelo Benfica em apenas 6 milhões de euros (sim, dá vontade de rir), e certamente o venderá por um valor acima de 40M. Poderá ser Jovic o projecto do Bayern para próximo Lewandowski?

33. Aaron Ramsey (Arsenal) - Pouco há a dizer. O médio galês acaba contrato em Junho e já se percebeu que não renovará com o Arsenal. Estamos muito curiosos para ver onde vai parar Ramsey: faz-nos confusão imaginá-lo fora da Premier League, mas é natural que abrace um desafio no estrangeiro.

34. Jorginho & N'Golo Kanté (Chelsea) - Colocamo-los juntos porque ao longo de 2019 o percurso dos médios da equipa de Londres estará profundamente ligado. Os alunos do professor de Sarri, uma dupla completíssima que se entende melhor a cada dia que passa, tirarão as dúvidas ao longo do novo ano sobre quem deve de facto ocupar a posição 6. Não excluimos a experimentação de um duplo pivô.

35. Christian Pulisic (Borussia Dortmund) - Com 1,73m de puro talento, o norte-americano do Dortmund deve mudar-se em 2019 para a Premier League, com o Chelsea como destino mais provável.

36. Tanguy Ndombele (Lyon) - Assombroso. Fala-se em Depay, Fekir, Cornet e Traoré, mas se este Lyon teve capacidade para jogar olhos nos olhos com o Manchester City, isso deveu-se e muito às recentes revelações do colosso francês - Ndombele e Aouar. Prevemos leilão por ele quando o mercado veranil abrir.

37. Florian Thauvin (Marselha) - Na época passada, o extremo francês de 25 anos marcou 26 golos. Esta época em 19 jogos já soma 13. Munique, Dortmund ou um regresso à Premier League, campeonato no qual passou ao lado quando era mais jovem, seriam belos destinos para um jogador que não tem recolhido os elogios que merecia.

38. Lorenzo Insigne (Nápoles) - Relegados para a Liga Europa, os napolitanos são candidatos a vencer a segunda maior competição europeia. Só o conseguirão com o melhor Insigne, o verdadeiro craque da equipa de Ancelotti.

39. Memphis Depay (Lyon) - Habitualmente controverso, e rapper nas horas vagas, o holandês será a principal arma ofensiva desta nova geração holandesa (comandada por van Dijk, Wijnaldum, De Jong e De Ligt) na Liga das Nações. Na Ligue 1, arriscamos dizer que precisa de outros números para que um gigante europeu o pretenda, considerando-o mais fiável do que no passado.

Resultado de imagem para skriniar40. Milan Skriniar (Inter Milan) - Há um ano atrás, era evidente para qualquer adepto que van Dijk era um central monstruoso à espera de acontecer mal desse o salto para um gigante. Para quem queira comprar centrais, Koulibaly é muito caro, De Ligt e Militão são desejados por meia Europa, sobrando Skriniar como um super-central à antiga que gostávamos de ver num clube superior.

41. Hirving Lozano (PSV) - O PSV revelou-se uma excelente porta de entrada na Europa para o mexicano Lozano evoluir num clube com a dimensão certa, futebol positivo e fazendo um estágio para o salto que terá que dar a médio-prazo. O modo como marca sempre pontos em jogos grandes faz-nos acreditar que está preparado para muito mais. Gostávamos de o ver em Espanha, Inglaterra ou Alemanha.

42. Benjamin Pavard (Estugarda) - Não saiu do Estugarda depois de se sagrar campeão do mundo, quando semanas antes era para muitos um desconhecido. Fala-se no Bayern como destino.

43. Alex Telles (Porto) - Avaliando a capacidade actual, não será descabido considerar-se Alex Telles o único jogador da Liga NOS que é Top-10 mundial na sua posição. Uma das figuras deste Porto, um dos melhores cobradores de cantos e livres indirectos do mundo, devemos apreciar cada jogo que ele faz por cá. É provável que em 2019/ 2020 esteja noutras paragens - Atlético Madrid?

44. James Rodríguez (Bayern Munique) - Assistir aos últimos anos da carreira de James é assistir a muitíssimo potencial desperdiçado. Do Mundial 2014 para cá, podia ter dado muito mais. Fugiu de Madrid para ser figura, e agora Kovac não vai com a cara dele. É agora ou nunca, precisa de ser feliz preferencialmente começando de raíz num novo projecto.

45. Rui Patrício (Wolves) - O jogador com mais jogos da História do Sporting rumou à Premier League e tem mostrado ser um dos melhores na Liga que reúne o maior lote de grandes guardiões. És um senhor, Rui.

46. Sébastien Haller (Eintracht Frankfurt) - Luka Jovic tem puxado para si todos os holofotes, mas ninguém deve ignorar o portentoso francês que o acompanha na frente. É daqueles jogadores que tem dado gosto assistir ao trajecto, melhorando a cada época. E vemo-lo mais do que preparado para uma equipa com outra dimensão.

47. Rúben Dias (Benfica) - Não é o jovem defesa central da moda - estatuto partilhado por De Ligt e Éder Militão - mas vem-se afirmando como o patrão da defesa encarnada. Que o Benfica o procure segurar, quiçá oferecendo-lhe uma braçadeira que ele já vem usando sem a ter no braço.

48. Julian Weigl (Borussia Dortmund) - Tal como Doucouré, Weigl tem sido associado ao PSG. Acreditamos que Frenkie De Jong seja a prioridade de Tuchel (não gostávamos nada de ver o médio holandês em Paris), e é natural com a saída de Rabiot que o PSG vá buscar 1 ou 2 médios. No passado, pareceu-nos destinado a trabalhar com Guardiola; hoje gostávamos mais de ver outros dois médios desta lista a serem o novo Fernandinho de Pep.

49. Alejandro Gómez (Atalanta) - Os anos passam e não compreendemos porque é que nenhum grande clube solta as notas por Papu Gómez. Agora começa a ser tarde (faz 31 anos em Fevereiro), mas não deixa de ser um prazer vê-lo em campo. É porventura o elemento com mais magia ou fantasia na Serie A.

50. Abdoulaye Doucouré (Watford) - Tem 25 anos e, com o devido respeito, o Watford é pequeno para ele. Doucouré é um daqueles jogadores que todos os treinadores gostam, uma espécie de Matuidi em potência, estando supostamente na lista de desejos do PSG.



This post first appeared on Barba Por Fazer, please read the originial post: here

Share the post

100 Jogadores que podem marcar 2019 (1-50)

×

Subscribe to Barba Por Fazer

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×