Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

A resenha que não poderia faltar: A menina que roubava livros-Markus Zusak

Livro maravilhoso, único e emocionante. Escrito por Markus Zusak e publicado em 2005, a atmosfera literária é a Alemanha de Hitler, Segunda Guerra Mundial  e o dia a dia de pessoas comuns que precisam enfrentar a guerra.

A história é narrada por ninguém menos que a morte,essa grande anfitriã dos tempos de guerra que encontra Liesel Meminger pela primeira vez no trem quando ela era levada pela mãe, junto com seu irmão para serem entregues a uma agente de adoção. A morte estava lá naquele trem quando veio buscar seu irmão e esse foi o primeiro encontro com a menina Liesel. Seus pais eram comunistas e sofriam as perseguições do sistema aderido na segunda guerra mundial, sendo assim as crianças que eram consideradas “arianas” deveriam ser entregues a outra família que recebiam um auxílio mensal para cria-las conforme deveria.

Liesel Meminger e a mãe enterram o menino próximo a estação, um garoto jovem que ajuda o coveiro no funeral deixa cair um livro: “manual do coveiro”. A menina logo que vê o livro no chão pega-o e guarda junto a si, como uma forte lembrança do seu irmão. Esse foi seu primeiro furto.

 

A garota é levada até a rua Himmel e entregue ao casal Hans e Rosa Hubermann, ela resiste em sair do carro da assistente social, mas Hans com seu carisma  e doçura estende suas mãos e ela então cede. 

Rosa Hubermann é uma mulher grossa e um tanto estupida, mas com um coração de ouro e cheio de bondade, aos poucos ela e o marido foram conquistando seu lugar no coração de Liesel. Hans era muito atencioso, tocava acordeão todas as manhãs, sempre consolava Liesel a noite quando tinha pesadelos e foi ele quem ensinou a ela a ler e escrever.

Liesel aos poucos vai se enturmando e faz novas amizades, Rudy é um garoto que logo se torna seu melhor amigo e criam fortes laços. Rudy tinha um sentimento por Liesel que ia de amor a ódio. Os dois se divertiam com jogos de futebol (no qual Liesel sempre era melhor) e os planos para  furtos de frutas nos pomares da vizinhança.

 

 

Liesel possuía uma personalidade forte e imbatível, quando os outros alunos riam dela na escola, ela não pensava duas vezes e logo partia para cima deles, mesmo que fossem maiores do que ela e dava uma bela surra. Depois disso ninguém mais se atrevia rir dela. Ela ajudava a mãe a entregar as roupas  que os mais ricos pagavam para Rosa passar e seu pai a ensinava escrever no porão usando restos de tintas, também a ajudou a ler o livro do “manual do coveiro” quando perdia o sono. Logo Liesel se tornou uma menina muito inteligente e dedicada aos seus livros.

Liesel entregava as roupas a esposa do prefeito, na casa havia uma grande biblioteca na qual Liesel resolveu invadir para pegar alguns livros. A esposa do prefeito desconfiava, mas não se importava e muitas vezes deixava um aperitivo para que a menina esfomeada pudesse comer. Ela mesma a convidou para entrar e conhecer sua biblioteca. Contou que era do seu filho que morreu e que ela poderia ir lá sempre que desejasse.

Hanz lutou na primeira guerra e um amigo havia lhe salvado a vida, entra em cena Max, um judeu fugitivo. Sua família o instruiu a procurar Hanz, pois ele o ajudaria a se esconder. A família não poderia negar um favor a ele e assim o ajudaram. Passam por apuros quando os militares precisam verificar o porão da casa. A partir dai a morte nos narra a guerra, como ela é devastadora e triste, nos mostra que esse livro não é somente a história de Liesel e sua família, mas a história de muitas famílias que viveram na segunda guerra mundial. Mostra que a vida dela era como a vida de muitos e a guerra levou a todos, destruiu famílias inocentes.

O livro é cercado de emoções, horas em que você chora e outras em que sorri. O autor consegue colocar belos sentimentos em suas palavras e faz com que seja vivenciado cada momento escrito. Liesel é uma heroína maravilhosa, uma criança ao mesmo que inocente de maturidade indescritível. Ela é forte, ela sabe usar suas palavras para o bem, ela compreende o que acontece em sua sociedade e se sente mal por isso, ela não apoia o que estão fazendo com o mundo. E sabe que as palavras tem força para mudar as coisas. Quando as famílias tinham que se esconder nos porões por causa dos bombardeios e todos estavam com medo, ela juntava toda sua coragem ,escolhia um livro pra ler, para ajudar a passar o tempo e tranquilizar as pessoas que ali estavam. Liesel também teve que ver seu pai ser levado para a guerra, ela viu muitas famílias serem destruídas. A visão de Liesel é a visão da morte. E a morte conta através dela, um pouco sobre todas as almas que carregou no colo.

 

O filme foi lançado em 2013, minha opinião sobre o filme é a seguinte: De longe se sente vendo o filme, o que sentimos lendo o livro. O livro traz muito mais emoção. Mas é um filme gostoso de assistir e tem um roteiro semelhante. Eu gostei mas recomendo que antes de assistir leia o livro para não deixar passar as emoções que o livro conquista. 




This post first appeared on Devan Satara | Bem Vindo!, please read the originial post: here

Share the post

A resenha que não poderia faltar: A menina que roubava livros-Markus Zusak

×

Subscribe to Devan Satara | Bem Vindo!

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×