Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

O Que Comer Na Dieta Low-Carb Vegetariana: Lista De Compras Completa

A dieta low-carb é incrível. E, por trazer resultados e transformações dramáticas, ela está cada vez mais popular.

No entanto, existe uma confusão muito comum a respeito da dieta low-carb.

A de que ela seria algum tipo de “dieta da proteína”, na qual você “só come carne”.

Mas essa ideia está bem longe da verdade.

E, para exemplificar, hoje nós vamos te mostrar uma lista de compras daquilo que poderia ser uma dieta low-carb vegetariana.

Portanto, leia o texto até o final para saber:

  • quais alimentos comer para emagrecer com uma dieta low-carb vegetariana,
  • quais alimentos evitar (e não comprar de jeito nenhum), e
  • quais são os fatos importantes que você tem de considerar ao adotar esse estilo de alimentação.

Então leia com atenção — e deixe seu email na caixa abaixo para receber nossas melhores dicas, livros de receitas grátis, presentes e muito mais todas as semanas.

(Não se preocupe: se não gostar, você pode sair a qualquer momento.)

Já se inscreveu? Excelente.

Então vamos conhecer as bases da dieta low-carb vegetariana.

As Bases Da Dieta Low-Carb Vegetariana — Legumes, Hortaliças E Vegetais De Baixo Amido

De maneira resumida, a base da dieta low-carb vegetariana é composta justamente por vegetais.

Isso pode parecer um tanto quanto óbvio, mas repare no seguinte.

Se você parou de comer carne, é interessante você se tornar um vegetariano… comendo vegetais.

E não um “massatariano”, que come massa o dia inteiro.

(Inclusive, este é um dos 12 maiores erros de quem começa o vegetarianismo.)

Então vamos citar alguns vegetais que podem fazer parte dessa lista, porque eles são baixos em carboidratos e muito saudáveis.

Para começar, tem um vegetal padrão de muitas saladas Brasil afora, que é a alface.

Nós costumamos comprar alface lisa ou mesmo alface americana, que podem ser consumidas junto com, por exemplo, tomate.

O tomate pode ser consumido cru na salada. Mas também pode ser usado para fazer molho de tomate caseiro.

Nessa mesma categoria (comida que pode ser consumida na salada ou usada para cozinhar) temos a cebola.

E é importante notar o seguinte: muita gente tem medo da cebola na dieta low-carb — e acha que ela “não pode” porque tem “muito carboidrato”.

Mas esse medo é infundado.

Pois existem cerca de 7g de carboidratos digeríveis a cada 100 gramas de cebola — e, vamos ser sinceros, ninguém come cebola aos quilos.

Então realmente não existe motivo para comer comida sem tempero só por medo dos carboidratos.

(Isto é, se você gosta de cebola, e lida bem com FODMAPs.)

Um outro alimento, que também serve para temperar. e é baixa em carboidratos, é a azeitona.

Nós gostamos muito de usar azeitonas para saborizar pratos: elas são boas fontes de gordura, e têm um sabor distinto.

Além da azeitona, também podemos usar o azeite de oliva na dieta (mas vamos falar sobre ele mais à frente aqui no texto).

Hortaliças, legumes e vegetais crucíferos

Um outro alimento que causa um pouco de polêmica com relação à quantidade de carboidratos é a abóbora.

Que é um alimento excelente no forno ou mesmo cozida, para ficar bem molinha.

(Sem nem falar do fantástico doce de abóbora low-carb.)

Assim como no caso da cebola, ela também não é tão rica em carboidratos quanto algumas pessoas pensam.

Na verdade, uma abóbora (qualquer que seja o tipo), vai ter no máximo por volta de 10 gramas de carboidratos digeríveis a cada 100 gramas.

E isso faz com que ela seja uma boa opção de alimento para incluir na sua dieta low-carb também

Relacionado: baixe grátis a tabela com a quantidade de carboidratos dos principais alimentos.

Sendo que existem muitos outros legumes que são baixos em amido.

E que por isso são excelentes opções para a dieta low-carb vegetariana.

Dentre os mais versáteis, temos a abobrinha (útil para macarrão de abobrinha, e também chips de abobrinha).

E a berinjela — útil na forma de antepasto de berinjela, ou mesmo de lasanha de berinjela (nesse caso, omita o presunto ou outros embutidos).

Além disso, uma adição por vezes esquecida é o palmito.

E rúcula e agrião também são boas opções tanto para saladas cruas quanto para refogados.

Além de diversas outras folhas como:

  • catalônia,
  • chicória,
  • couve,
  • escarola
  • espinafre,
  • repolho,

dentre muitas outras.

Sem contar os diversos vegetais crucíferos — excelentes opções para dar volume ao seu prato, e fontes de muitas vitaminas e minerais.

Alguns deles são:

  • brócolis,
  • couve-flor,
  • couve de Bruxelas,
  • nabo, e
  • rabanete.

Mas, como regra geral, todos os tipos de folhas verdes que você encontrar podem ser consumidas sem medo.

Porque todas elas são baixas em carboidratos, e ricas em fibras e nutrientes para a sua dieta.

Frutas low-carb

Muitas frutas são ricas em açúcares — e, por isso, não são ideais para uma dieta low-carb.

No entanto, existem algumas frutas baixas em carboidratos. E é sobre elas que vamos falar agora.

Uma dessas frutas é o limão.

O limão pode ser usado para temperar, ou para fazer um refresco (espremendo um limão na água, por exemplo). Por outro lado, não é a melhor ideia tomar um suco feito com vários limões juntos (sucos de frutas não costumam ser boas opções).

Outra fruta low-carb é o morango, que também funciona muito bem como sobremesa.

Você pode acrescentar creme de leite ao morango, ou fazer uma ganache de leite de coco com cacau em pó. Ou mesmo batê-lo com iogurte ou kefir. Assim você tem uma sobremesa natural e saborosa

O próprio coco é uma fruta baixa em carboidratos e rica em gorduras.

Assim como o abacate — que vai muito bem na confecção de uma maionese vegana.

Para uma lista mais extensa de quais frutas são low-carb, sugerimos que confira nosso texto completo sobre o assunto.

Fungos e cogumelos

Não podemos nos esquecer de um outro grupo de alimentos interessante, que são os fungos e cogumelos.

Apesar de não serem vegetais propriamente ditos (fazem parte do reino Fungi), resolvemos encaixá-los aqui nessa seção do texto por serem uma fonte ótima de fibras e de saciedade, mesmo tendo pouquíssimas calorias.

Sendo que os principais tipos de cogumelos podem ser incluídos sem medo:

  • champignon,
  • cogumelo branco,
  • cogumelo paris,
  • portobello,
  • shimeji,
  • shitake,

dentre outros que existem  — mas que a gente pessoalmente nunca comeu.

Até agora, falamos de vegetais, e até de cogumelos.

Pois estas são realmente as bases de uma dieta low-carb vegetariana — e, na verdade, são a base de praticamente qualquer dieta low-carb bem formulada.

Porém, existe uma dúvida muito comum sobre a dieta vegetariana — que você talvez já tenha até escutado.

De onde vêm as proteínas da dieta vegetariana?” ***QUOTE

Então agora nós vamos falar justamente sobre isso: as melhores fontes de proteína em uma dieta ovo-lacto-vegetariana.

Relacionado: conheça nossa Coletânea De Receitas Low-Carb Vegetarianas Para Todas As Horas

Principais Fontes De Proteína Da Dieta Low-Carb Vegetariana — Ovos e Laticínios

Pessoas que desejam seguir uma dieta low-carb sem consumir carnes não precisam se preocupar com a questão das proteínas.

Isso porque, em uma dieta ovo-lacto-vegetariana, os ovos e queijos assumem o papel de principais fontes de proteínas.

(Já se você for vegetariano estrito ou vegano, provavelmente deve ler essas 15 dicas — e falar com um profissional gabaritado para te orientar.)

O ovo, como muita gente deve saber, apresenta diversas propriedades que o tornam um dos alimentos mais completos e nutritivos do mundo.

Falamos bastante sobre os benefícios dos ovos aqui.

Mas, de maneira resumida, podemos dizer que eles têm:

  • proteínas completas,
  • boas gorduras,
  • colesterol (o que é bom para nós),
  • vitaminas, e
  • minerais.

Além de estarem presentes em várias e várias receitas low-carb deliciosas, que servem para dar sabor a nossa dieta.

(Mas também não é para comer apenas ovos e ignorar o restante dos alimentos — isso seria uma tremenda burrice.)

Além dos ovos, os queijos e outros laticínios baixos em carboidratos têm papel importante no fornecimento de proteína para ovo-lacto-vegetarianos.

Dentre esses outros laticínios, destacamos os diversos tipos de iogurtes que praticamente não contêm carboidratos.

Mas é importante prestar atenção as suas informações nutricionais e a seus ingredientes.

Pois a indústria é mestre em colocar açúcares disfarçados e conservantes para deixar os alimentos mais saborosos e duráveis.

Já no caso dos queijos, a maioria deles acaba sendo bem low-carb.

Sendo que nós falamos muito mais sobre queijos e derivados do leite no contexto de dieta low-carb aqui neste texto.

Por ora, basta ressaltar que os queijos são boas fontes de proteína e também de gorduras — o que é muito importante.

Afinal, no cenário de uma dieta low-carb, você vai estar com poucos carboidratos —  como seu próprio nome já diz — sendo que sua fonte de energia principal passa a ser a gordura.

E a gordura natural dos alimentos não é maléfica a nossa saúde — essa ideia é um grande mito.

É a gordura que vai ser sua principal fonte de energia nesse estilo alimentar.

E existem diversas opções de gorduras saudáveis (além dos ovos e queijos) que são alimentos permitidos em uma dieta low-carb baseada em comida de verdade.

Principais Fontes De Gordura Da Dieta Low-Carb Vegetariana — Azeite, Abacate, Coco E Outras

Os ovos e queijos podem ser boas fontes de proteínas e de gorduras.

Mas certamente não são as únicas.

E, como estamos tratando de uma dieta low-carb e vegetariana, então as principais fontes de gorduras saudáveis são aquelas de origem vegetal — além daquelas feitas a partir do leite.

Como, por exemplo:

  • azeite de dendê;
  • azeite de oliva;
  • creme de leite;
  • ghee;
  • leite de coco;
  • manteiga;
  • manteiga de coco;
  • nata;
  • óleo de abacate;
  • óleo de coco;
  • óleo de macadâmia;
  • dentre outras.

Todas essas gorduras citadas acima são saudáveis para o consumo humano e podem ser inclusive aquecidas e utilizadas na culinária.

Por outro lado, devemos excluir totalmente óleo e gorduras altamente processados de nossa alimentação — por mais que sejam sem carboidratos e sem origem animal.

Dentre os quais podemos citar:

  • óleo de soja;
  • óleo de semente de girassol;
  • óleo de canola;
  • óleo de algodão;
  • óleo de cártamo.
  • margarina;

dentre outros óleos processados de origem vegetal — clique para saber mais.

Esses óleos são muito tóxicos para a nossa saúde e, por mais que a indústria tenha nos enganado por anos, tratam-se de alimentos que nós devemos evitar a todo custo.

Até aqui, você entendeu a base da dieta low-carb vegetariana.

Então vamos falar de outros alimentos e ingredientes que podem dar mais sabor a sua nova alimentação.

Porém que não devem compor a essência do que você come no dia a dia.

Relacionado: descubra o cardápio para 14 dias de dieta low-carb vegetariana que ainda acompanha lista de compras e mais de 150 receitas low-carb vegetarianas.

Alimentos Para Dar Mais Sabor A Sua Dieta Low-Carb Vegetariana

Nesta parte do texto vamos falar sobre aqueles alimentos que não são essenciais à dieta de ninguém.

Mas que podem adicionar muito sabor e diversidade a seu dia a dia.

Então perceba que nem esses alimentos e nem as receitinhas low-carb feitas com esses ingredientes devem ser a base da sua alimentação.

Pois, conforme já falamos, a base são os vegetais.

Mas queremos mostrar que uma dieta low-carb vegetariana não precisa se resumir a comer apenas espinafre com ovos.

Até porque seria muito mais difícil aderir e transformar a low-carb em estilo de vida tendo de evitar doces e iguarias para o resto da vida, não é mesmo?

Por isso, agora vamos falar sobre iguarias low-carb e ingredientes low-carb que podem ser utilizados para fazer verdadeiras obras-primas da culinária.

E vamos começar falando sobre como reproduzir o sabor doce, mas sem utilizar nenhum tipo de açúcar nocivo ao nosso organismo.

Adoçantes low-carb

Nós já abordamos o assunto “adoçantes saudáveis a dieta low-carb” em diversos textos aqui no site.

Mas vamos resumir agora para você quais são os melhores a nosso ver:

  • eritritol,
  • xilitol,
  • stevia.

(Explicamos qual a melhor ocasião para cada um deles em um texto exclusivo que você pode ler aqui.)

Mas basicamente são essas as opções mais saudáveis para substituir o açúcar.

Sendo assim, vamos ver agora como substituir a farinha de trigo em suas receitas low-carb.

Farinhas low-carb

Felizmente, existem diversas opções saudáveis, low-carb e livres de glúten para substituir a farinha de trigo.

Assim como no caso dos adoçantes, nós já abordamos o assunto “farinhas low-carb” extensivamente em outro texto.

Mas agora vamos dar a versão resumida para você.

As principais farinhas low-carb são:

  • farinha de amêndoas,
  • farinha de amendoim,
  • farinha de berinjela,
  • farinha de castanha do Pará,
  • farinha de castanha de caju,
  • farinha de coco,
  • farinha de linhaça,
  • farinha de nozes,
  • farinha de semente de abóbora,
  • farinha de semente de girassol,

dentre outras.

É válido conhecer as opções de farinhas low-carb, porque provavelmente ninguém deveria abusar do consumo do trigo.

E você lê as informações nutricionais, os prós e os contras, o preço, e como utilizar cada uma dessas farinhas low-carb no texto competo.

Pois ele pode causar vários problemas para as pessoas, conforme explicou a especialista Raquel Benati.

Mas, já que falamos das farinhas de oleaginosas e sementes, será que os alimentos que dão origem a essas farinhas também podem figurar em nossa lista de compras?

Oleaginosas e sementes

Todos os tipos de sementes e oleaginosas podem ser consideradas como alimentos baixos em carboidratos, podendo fazer parte da sua lista de compras low-carb vegetariana.

Dentre as oleaginosas, podemos citar:

  • amêndoa,
  • avelã,
  • castanha de caju,
  • castanha do Pará,
  • castanha portuguesa,
  • macadâmia,
  • noz,
  • noz pecã,
  • pistache,
  • dentre outras.

E também as sementes:

  • de abóbora,
  • de chia,
  • de girassol,
  • de linhaça,
  • de melancia,
  • dentre outras.

Porém, aqui vale uma observação.

Apesar de esses alimentos serem low-carb e ricos em nutrientes, eles podem ser “problemas” em algumas situações.

Isso porque as oleaginosas são altamente calóricas, mas apresentam pouca saciedade.

Ou seja, é muito fácil comer muito desses alimentos de uma vez só, no chamado “efeito dominó”.

Isto é:  quando você começa a comê-las, pode ser difícil parar.

(Justamente por elas serem muito gostosas e poucos saciantes.)

Então, para algumas pessoas, começar a comer esses alimentos é como derrubar a primeira peça de uma série de dominós enfileirados. Fica o alerta.

Chocolates

Além das oleaginosas e suas farinhas, com as quais podemos elaborar sobremesas incríveis, não poderíamos deixar de citar os chocolates.

Afinal, nós somos fãs declarados dessa iguaria.

Porém, em uma dieta low-carb, devemos nos ater aos chocolates com alto teor de cacau (70% ou mais) — por serem as variações com menos açúcar adicionado.

Sendo que um bom chocolate com alto teor de cacau cai muito bem:

  • como ingrediente em receitas low-carb,
  • sozinho, como sobremesa, ou mesmo
  • como um lanche low-carb para o meio de uma tarde fria.

Mas, apesar de ser bem gostoso e não tão rico em carboidratos assim, o chocolate não deve ser a “base” de nenhuma dieta.

Apenas gostamos de ter essa opção em casa para consumo ocasional.

Ao nosso ver, quando bate aquela vontade de doce, é bem melhor você comer um pedaço ou dois de um chocolate 85% cacau do que comer um doce cheio de açúcar.

Como sempre gostamos de dizer: “a dieta começa no mercado.”

E o chocolate, assim como as oleaginosas, podem ser uma ótima opção para dar mais sabor e diversidade a sua dieta low-carb.

E falando em sabores…

Temperos

Para quem tem medo de enjoar da dieta ou para aqueles que gostam de reclamar da comida, esta parte do texto foi feita para vocês.

Isso porque a quantidade de temperos disponíveis é absurdamente grande — e eles podem mudar drasticamente o sabor de uma mesma comida.

E o melhor de tudo: a maioria dos temperos, na quantidades em que são utilizados, são totalmente alinhados a uma dieta low-carb.

Dentre eles, podemos citar:

  • açafrão da terra,
  • alecrim,
  • alho em pó,
  • cebola em pó,
  • cebolinha,
  • chimichurri,
  • colorau,
  • cúrcuma,
  • curry,
  • folhas de louro,
  • manjericão,
  • noz moscada,
  • orégano,
  • pimentas em geral,
  • sal,
  • salsinha,
  • tomilho,

dentre muitos outros.

Você pode usar e abusar desses temperos em sua culinária, para dar sabores variados a suas preparações.

Assim, não vai parecer que você está sempre comendo a mesma comida — mesmo se você estiver.

Porque a cada vez ela terá um sabor e uma nuance diferentes.

E ainda para quem gosta de variar e acha que vai sentir saudade das massas à base de trigo, nossa próxima seção foi feita para você.

Relacionado: conheça nossa Coletânea De Receitas Low-Carb Vegetarianas Para Todas As Horas

Macarrões e massas low-carb

A verdade é que agora ninguém que quer emagrecer e ter mais saúde precisa deixar de comer macarrão e outras massas… só precisa mudar o tipo de massa.

Isso porque já existem diversas opções de massas low-carb disponíveis no mercado.

Alguns exemplos são:

  • espaguete de abobrinha;
  • espaguete de konjac (uma raiz low-carb);
  • espaguete de pupunha;
  • massa de lasanha de pupunha;
  • penne de konjac;

dentre inúmeras outras massas feitas a partir de vegetais baixos em carboidratos .

(Como a pizza low-carb de couve-flor, e mesmo a pizza low-carb de farinha de berinjela.)

E, para acompanhá-las, você pode fazer um molho branco, um molho de tomate caseiro, ou mesmo um molho pesto.

Sabemos que você deve estar gostando das ideias que estamos apresentamos aqui, mas pode estar se perguntando onde encontrar tais iguarias low-carb.

Você não precisa se preocupar: porque já cuidamos de tudo isso para você.

Onde encontrar ingredientes e iguarias low-carb

Conforme reiteramos, a maior parte de suas compras deve ser feita na feira (vegetais e ovos) e no mercado (queijo, azeite, temperos, etc.).

Mas alguns itens mais especiais de sua lista de compras (como chocolate 85%, farinha de amêndoas e macarrão de pupunha) são mais difíceis de serem encontrados — principalmente a preços justos.

Por isso, nós mesmos, por diversas vezes, saímos internet afora em busca de bons locais para comprarmos os ingredientes para nossas receitas low-carb.

E foi em uma dessas buscas que encontramos a loja virtual Tudo Low-Carb.

Felizmente conseguimos contato com sua simpática dona, a Eliana, e a partir daí conseguimos uma parceria muito bacana.

Atualmente ela patrocina nosso canal do Youtube — e nós também sempre que precisamos compramos ingredientes dela para fazer as receitinhas do canal.

Então se você também quer ter mais opções para variar e incrementar seu dia a dia na dieta low-carb, essa é nossa dica pessoal.

Assim você perceber que fazer uma dieta low-carb vegetariana pode ir muito além de comer ovos com queijo e brócolis.

Apesar desses alimentos ainda serem a base da sua dieta, você viu que pode adicionar muitas outras coisas saborosas a ela.

Na Tudo Low-Carb você encontra diversos desses alimentos e ingredientes a um preço justo.

E nós ainda conseguimos um cupom especial de desconto para nossos leitores.

Basta você usar o cupom SRTANQUINHO na hora do checkout para ganhar 10% off na sua primeira compra.

Dado o recado, vamos continuar com nossa lista de compras low-carb vegetariana.

Alimentos Não Tão Low-Carb Assim Que Podem Fazer Parte Da Sua Dieta Low-Carb Vegetariana

Além dos alimentos low-carb que mencionamos até agora, existem alguns que ficam numa “zona cinza”.

Eles não são exatamente o que podemos chamar de “alimentos low-carb” — justamente porque apresentam uma quantidade não desprezível de carboidratos.

Porém, podem figurar na lista de compras de pessoas que já não precisam perder tanto peso.

Ou que não fazem uma dieta low-carb tão restritiva quanto a dieta cetogênica, por exemplo.

E o primeiro desses alimentos são as leguminosas — que muita gente diz que “não vive sem”.

Leguminosas — feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, etc.

Se você é daquelas pessoas que “não consegue viver sem um feijãozinho”, então você não precisa se preocupar — ou usar isso como desculpa para não emagrecer.

Porque é totalmente possível conciliar dieta low-carb, pequenas quantidades de leguminosas e emagrecimento — tudo isso ao mesmo tempo.

(Inclusive falamos bastante sobre o assunto neste post sobre feijão e dieta low-carb.)

Por exemplo, se você fizer uma dieta low-carb um pouco mais permissiva, com um pouco mais de carboidratos, com cerca de 100 gramas de carboidratos líquidos ao dia.

Nesse caso, feijão, lentilha, ervilha e grão-de-bico podem ser incluídas em pequenas quantidades em seu dia a dia.

Até porque 100g de feijão carioca cozido apresentam cerca de 10g de carboidratos líquidos.

Mais um ponto para as leguminosas: elas ainda apresentam cerca de 5g de proteínas nesses 100g.

E uma quantidade relativamente alta de amido resistente.

Ou seja, é possível comer uma certa quantidade moderada de feijão na low-carb, e ainda emagrecer.

Outros alimentos que “obedecem a essa regra” são as raízes, conforme veremos agora.

Raízes — batata, batata doce, mandioca, mandioquinha, etc.

Apesar de as raízes, em sua maioria, serem mais ricas em carboidratos do que as leguminosas cozidas, ainda assim é possível arranjar um espaço para elas em sua alimentação.

(Isso, é claro, depende de quão low-carb você deseja ser.)

E nesse caso estamos falando de batata, batata doce, mandioca, mandioquinha e outras raízes parecidas, que apresentam cerca de 20 a 30g de carboidratos líquidos a cada 100g.

(Nem vamos citar as raízes cenoura e beterraba porque essas são mais baixas em carboidratos e, consequentemente, permitidas.)

Nesse caso, podemos seguir o mesmo raciocínio que utilizamos acima.

Consumir 100g de batata adicionam 20g de carboidratos a seu dia.

E essa quantidade é bem fácil de conciliar com a dieta low-carb de muita gente.

(O difícil é conseguir comer apenas 100 ou 150 gramas de uma batata deliciosa e bem feita… mas isso é outra conversa.)

Mas, se você conseguir… pode aproveitar!

Sendo que o mesmo raciocínio se aplica para as frutas mais doces.

Outras frutas — abacaxi, maçã, banana, uvas, etc.

Se você não busca perder peso, ou prefere seguir uma dieta low-carb não tão restritiva, talvez se alegre em saber que pode consumir algumas frutas mais ricas em açúcar.

Conforme falamos lá no início do texto, frutas low-carb como morango e abacate podem ser incluídas na dieta low-carb de praticamente qualquer pessoa.

Por outro lado, frutas mais ricas em carboidratos, como bananas e caquis, devem ter seu consumo mais moderado.

Porém, se a pessoa em questão estabelecer seu consumo de carboidratos diários por volta dos 100g, então passa a ser tarefa menos árdua incluir mesmo as frutas mais doces em seu dia a dia.

Nesse caso, praticamente todas as frutas que conhecemos podem ser adicionadas a sua lista de compras.

Algumas delas em maior quantidade, e outras em menor.

Vai depender de quanto carboidrato você quiser comer, e da quantidade de açúcar da fruta em questão.

Veja uma lista de frutas comuns abaixo (entre parênteses temos as quantidades de carboidratos das frutas por porção de 100g):

  • abacaxi (12g),
  • ameixa (11g),
  • banana (24g),
  • banana da terra (32g),
  • caqui (15g ou mais dependendo da variação),
  • jaca (20g),
  • jabuticaba (13g),
  • laranja (12g),
  • maçã (14g),
  • manga (17g),
  • mexerica (11g),
  • pera (13g),
  • pinha (19g),
  • uvas em geral (12g),
  • dentre outras.

Conforme você pode perceber, dependendo de seus objetivos (e da sua dieta como um todo), incluir 100g ou 200g de abacaxi é uma tarefa bem fácil.

Por outro lado, para a maioria das pessoas que quer emagrecer, fica difícil incluir mais de uma banana da terra no seu dia.

Portanto, mais uma vez estarão em cena o seu bom senso, o seu gosto particular, e seus objetivos.

E só você vai poder decidir quais frutas, e alimentos no geral, podem ser adicionados ou não a sua cesta de compras.

Alimentos Praticamente Proibidos Na Dieta Low-Carb Vegetariana — Grãos, Cereais, Açúcares E Seus Derivados

Os grãos apresentam grande quantidade de carboidratos líquidos em sua composição.

Por isso, é muito difícil conseguir encaixá-los numa dieta low-carb (e principalmente numa dieta cetogênica).

Além disso, apresentam poucos micronutrientes, e certa quantidade de antinutrientes.

O trigo, por exemplo, apresenta não só o glúten, mas também outros compostos (como a aglutinina do germe do trigo) que podem trazer malefícios a sua saúde.

Apesar de o trigo ser o mais problemático, outros cereais também podem representar problemas por conta de seus antinutrientes.

Alguns grãos, como o arroz, não apresentam nenhum tipo de antinutriente — sendo considerados “amidos seguros”.

Mas lembre-se de que o arroz é basicamente apenas amido.

E que, por isso, não justifica sua presença numa dieta cujo objetivo é reduzir a ingestão de carboidratos.

Pois o arroz é ao mesmo tempo rico em carboidratos e pobre em proteínas, gorduras, fibras, vitaminas, e minerais.

Por isso, ao nosso ver, incluir grãos em uma dieta low-carb é algo bem difícil e até despropositado.

E mesmo em um dia do lixo ou dia livre pode ser mais inteligente apostar em receitas bem calóricas, mas que ainda assim sejam low-carb (como os brigadeiros low-carb), do que em grãos.

(Até porque, se você tem problemas com o glúten, pode ser mais interessante fazer um dia livre focado em comida de verdade.)

Mas então vamos ver o grãos e cereais que não se encaixam como alimentos low-carb:

  • arroz (de todos os tipos),
  • aveia,
  • centeio,
  • cevada,
  • granola,
  • milho,
  • quinoa (ou quinua),
  • trigo,
  • dentre outros.

Vale lembrar que as farinhas e outros alimentos produzidos a partir desses grãos (como pães, bolachas, bolos, massas, etc.) também estão totalmente excluídos de uma lista de compras low-carb, seja ela vegetariana ou não.

Por fim, apesar de acharmos que todo mundo já sabe disso, é nosso dever ressaltar novamente que o açúcar — em qualquer uma de suas formas (de coco, demerara, mascavo, mel, etc, etc.) — fica de fora de uma dieta low-carb de sucesso, não devendo figurar em sua lista de compras.

Relacionado: está perdido(a) para montar um cardápio gostoso sem esses alimentos? Veja aqui 150 opções de comida low-carb vegetariana super saudáveis

Conclusão E Palavras Finais

Resumidamente, podemos dizer que uma dieta low-carb vegetariana vai se basear grandemente em vegetais de baixo amido, ovos e laticínios.

Sendo que, dentro desses grupos, temos uma variedade praticamente infinita de alimentos e combinações possíveis entre eles.

Isso sem nem contar os diversos temperos que podemos utilizar para dar mais sabor a nossas inúmeras combinações de pratos.

Além desses alimentos que podem ser consumidos praticamente sem nenhum tipo de restrição, também falamos sobre alguns outros — cujo consumo deve ser mais moderado.

Na verdade, as escolhas que você fará dentro desse oceano de possibilidades vão se basear grandemente na sua individualidade.

(Estamos nos referindo a sexo, idade, metabolismo, nível de atividade física, peso objetivo, restrições alimentares, e gosto e preferências pessoais.)

A sua lista de compras será um reflexo disso.

Portanto, neste texto mostramos boa parte das possibilidades que você tem.

Que te permitem elaborar uma lista de compras compatível ao mesmo tempo com uma dieta low-carb e com uma dieta vegetariana.

Para que assim você possa atingir seus objetivos de perda de peso e de saúde — sem ter de abrir mão de seus ideais e filosofias de vida.

Vamos um passo além?

Não queremos parar por aqui.

Por isso, como agradecimento por você ter lido até o final, queremos te dar um presente.

Preparamos para você um livro com mais de 20 receitas low-carb vegetarianas — é grátis e você pode clicar aqui para baixar.

Se você gostar desse livro e quiser se aprofundar ainda mais, talvez também goste de conhecer nosso material completo.

Trata-se da nossa Coletânea De Receitas Low-Carb Vegetarianas Para Todas As Horas — que inclui receitas de todos tipos (doces, salgadas, de café da manhã, de lanches, drinks, etc).

Além de um cardápio exemplo, livros inspiradores, e muito mais.

Adquirindo a coletânea completa você nos ajuda a continuar difundindo o melhor do conhecimento low-carb vegetariano de maneira gratuita — como no texto que você acabou de ler.

>>> Clique aqui para se juntar a esse movimento

Obrigado por estar conosco — estamos ansiosos por continuar essa conversa com você nos comentários abaixo.

Um forte abraço,
— Guilherme e Roney, do Senhor Tanquinho.

O post O Que Comer Na Dieta Low-Carb Vegetariana: Lista De Compras Completa apareceu primeiro em Senhor Tanquinho.



This post first appeared on Senhor Tanquinho, please read the originial post: here

Share the post

O Que Comer Na Dieta Low-Carb Vegetariana: Lista De Compras Completa

×

Subscribe to Senhor Tanquinho

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×