Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

Memórias - Ato 6 - Honestidade

Honestamente, eu não sou completamente honesto.
Minha meta, missão é ser o mais transparente possível 
Mostrando para o mundo mais e mais quem eu realmente sou,
Contudo não é tão fácil assim.

Primeiro, eu não sei quem realmente sou de fato
A jornada da vida é uma longa trajetória de auto conhecimento baseada nas interações diárias
Se sua mente estiver aberta para essa constante mudança você sempre continuará aprendendo
"evoluindo"

E quanto a transparência desse ser sempre evoluído
É bastante delicada

Acredito que com o amadurecimento nos tornamos mais francos (ou não)
Perdemos o medo de chorar, brigar, perder amigos, fazer inimigos e expor nossos pensamentos
Não pensamos mais como adolescentes, não temos mais tanta tolerância
Corremos muito e não temos tempo a perder.

Ai surge o perigo da honestidade.

Tento ser o mais honesto possível, mas preservo dentro de mim um espirito imaturo, adolescente.
Esse meu espirito absorve minha honestidade
Me faz mais tolerante, cauteloso e simpático
Me faz ter medo de ganhar inimigos e perder amigos.

Quando deixo esse espirito juvenil florir dentro de mim não perco minha essência
Continuo expondo o que eu penso, mas filtrando e fluindo
Ainda não encontrei o perfeito equilíbrio entre cautela e honestidade
Mas continuo buscando, buscando...







This post first appeared on ALÊ NAS AMÉRICAS, please read the originial post: here

Share the post

Memórias - Ato 6 - Honestidade

×

Subscribe to AlÊ Nas AmÉricas

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×