Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

5 MITOS SOBRE INDULGENCIA 1 de 2

MITO # 1 - A Igreja Católica já não tem indulgências HOJE EM DIA.



Isto simplesmente não é verdade. As indulgências são uma coisa boa e ainda fazem parte do ensino da Igreja.

 Veja qual a resposta do Catecismo da Igreja Católica, encontrada no §1471, à pergunta "O que é uma indulgência?":

QUE É A INDULGÊNCIA?

"A indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa, (remissão) que o fiel bem-disposto obtém, em condições determinadas, pela intervenção da Igreja que, como dispensadora da redenção, distribui e aplica por sua autoridade o tesouro das satisfações (isto é, dos méritos) de Cristo e dos santos."


Primeiro o que uma indulgência não é.

  • não é permissão para pecar, 
  • não é perdão por um pecado.
  • não é tornar imunes ao pecado.
Simplificando: indulgência é a remissão do castigo temporal (punição nesta terra) que nos é devido do nosso pecado. Indulgências não são sobre punição eterna (inferno)

MITO # 2 - Indulgências são uma maneira de "comprar o seu caminho para o Céu".


De modo nenhum. Subjacente a este mito é outro - que a Igreja Católica ensina que podemos ganhar o Céu através das obras. Isso não é verdade. Não podemos ganhar o nosso caminho para o Céu.


Há uma lente através da qual devemos olhar para entender dois aspectos da graça de Deus, o que pode ajudar a explicar de onde veio este mito.
O primeiro aspecto é a graça operativa, que é a graça que Deus opera em cada um de nós, essa nós não participamos. Os dons de fé e esperança são exemplos de graça operativa. São dons de Deus que nenhum homem pode merecer. Deus nos dá uma vida nova na fé, não a ganhamos. Em uma analogia é como um paciente que está recebendo choque no coração para reativar esse órgão e poder reviver. Ora só o médico age nesse caso e o paciente fica passivo.

O segundo aspecto é a graça cooperativa.  Analogicamente a um doente, é mais como um paciente que vai à reabilitação. Concordamos em dizer "sim" ao Doutor (Deus) e, portanto, permitir que o processo de cura avance. As indulgências são um exemplo dessa graça cooperativa.

Muitos de nossos irmãos protestantes vêem o pecado como tendo apenas uma consequência - o inferno. Se você é um pecador que não é perdoado, então você está preso ao inferno. Se você é perdoado, então você vai para o céu.


Mas, na verdade, há duas consequências para cada pecado:


  1. O castigo eterno - claro que o tipo mais importante de saber - sem ter o castigo eterno perdoado, não podemos ser salvos.
  2.  Pena temporal (castigo nesta terra) - Pense em Adão e Eva sendo expulsos do Jardim do Éden e sofrendo agora, sendo Davi levado a sofrer a perda de seu filho devido a seu pecado (2 Sm 12), ou Moisés não podendo ver a terra prometida. Todos estes são castigos nesta terra pelo pecado. Embora o castigo eterno possa ter sido perdoado por Deus, todas essas pessoas ainda tinham que sofrer a punição temporal do pecado.


Se eu mentir para minha esposa, não é bom o suficiente para pedir a Deus para me perdoar, eu preciso pedir perdão de minha esposa também. Precisamos fazer o mesmo por todo o pecado - busque o perdão pelos aspectos eternos e temporais. Mesmo a própria morte física é uma parte da punição temporal do pecado; Embora o cristão eternamente perdoado ainda morra. St. Augustinho diz que há uma diferença entre ter o dardo envenenado removido de você e recuperar da ferida. Indulgências lidar apenas com a cura da ferida - não a remoção do dardo, que só Deus pode fazer.

Recebemos as graça de Deus, então respondemos a ela. Cristo ganhou nossa eterna salvação para nós por Seu sangue. Se escolhermos Sua graça, seremos salvos e entraremos no Céu. Uma indulgência não tira nada desta obra de Deus.



No entanto, a Bíblia diz que o céu é um lugar para apenas aqueles aperfeiçoados (em todos os sentidos) através de Jesus:

"Nada impuro entrará nele (céu)." - Apocalipse 21:27


Em outras palavras - para sermos preparados para ir para o Céu, temos que ser absolutamente despojado de tudo o que não é de Jesus. Enquanto a obra de Jesus na cruz está completa, nós não compartilhamos perfeitamente neste trabalho até que estejamos no céu, onde teremos uma participação plena na Sua perfeição. Portanto, devemos ser purificados antes de entrar no céu. Se não estamos perfeitamente prontos para entrar no Céu no momento de nossa morte, então o processo de purificação ocorrerá no Purgatório.

Uma indulgência só é boa para aqueles que já estão na graça de Jesus e que converteram corações = os eleitos. Portanto, nada acrescenta ao que Cristo já fez, já que Ele já fez tudo.


Para continuar lendo esse artigo clique no botão abaixo




This post first appeared on CONSAGRATENEWS, please read the originial post: here

Share the post

5 MITOS SOBRE INDULGENCIA 1 de 2

×

Subscribe to Consagratenews

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×