Get Even More Visitors To Your Blog, Upgrade To A Business Listing >>

AnáliseMorte: Donkey Kong 64


Apesar desse jogo não fazer parte da série Country, ele se encaixa na história e traz muita, mas muita informação complementar. Fazia tempo que eu queria joga-lo, mas tinha um certo preconceito com o estilo do jogo.


Bem, aqui você conhecerá a história completa de DK64, entenderá o universo DK, e conhecerá um pouco mais da família de Primatas, e da família de Répteis.

Ooooh Banana!

Boa leitura.



Esse jogo é interessante, porém "inova" de mais com a nova plataforma (foi lançado pra n64) e por isso, não é tão agradável quanto os 3 DKs anteriores.


Nessa época a Rareware ainda tava no comando de DK, ao lado da Nintendo, mas era uma época em que o 3D multidirecional tava na moda, o sucesso de Mario 64 era grandão, então inventaram de converter os jogos de plataforma mais famosos da época pro novo modelo gráfico, e não foi diferente pros macaquinhos.


Só que, ficou bem diferente. Agora contamos com Donkey e uma trupe enorme, não apenas uma dupla, além disso as fases são dividas em setores livres pra exploração, e pra migração, ou seja, da pra ir e vir quando quiser nas "fases", sem uma ordem específica.


Claro que há delimitações, por exemplo, antes de um novo "mundo" ser revelado, o anterior precisa ter alguns requisitos atingidos, pro chefe ser enfrentado e derrotado. Esses requisitos se resumem a Bananas.


Tanto Bananas Grandes, que são a recompensa dos Bônus e tudo quanto é evento especial, quanto as Bananas Pequenas, que são usadas como chave pra acessar os chefes.


Cada fase exige um número prévio de Bananas Grandes pra ser acessada, e um número mínimo de Bananas Pequenas pra ser doado. Cada macaco tem um total de 5 Bananas Grandes por fase, e 100 bananas pequenas também.

Bananas Pequenas valem 1 unidade, Cachos valem 5 unidades, e Balões valem 10 unidades. Tudo fica bem escondido, e tudo é limitado, ou seja, só tem 100 MESMO.


Só ai nasce um grande e irritante fator replay, em que é preciso explorar com cautela a mesma região, com os 5 macacos, cada um por vez, pois não da pra controlar mais de um ao mesmo tempo, e cada um tem suas próprias bananas pra pegar, tanto que elas são coloridas pra diferenciar a quem pertencem.


Como todo DK, esse também conta com o além de 100%, porém, fazê-lo é uma chatice que não recompensa tanto assim... é melhor que no DKC1, em termos de compensação, mas é bem mais complicado.

Além das Bananas, temos as Medalhas Bananas, que são obtidas a cada 75 bananas conquistadas, por macaco. Essas medalhas não servem pra nada, além de liberar um novo poder próprio do jogo.


Temos as Moedas Banana, que são encontradas por toda parte, também com esquema de cores pra cada macaco, mas... elas só servem pra comprar habilidades periodicamente. Além de não serem contabilizadas na porcentagem do jogo, chega um momento que elas simplesmente acumulam pois não há mais uso.


Tem as Moedas Bananas Arco-íris, que são moedas especiais que valem 5 moedas bananas pra todos os macacos, quando achadas. Também não contam pra porcentagem do jogo, porém, recentemente um jogador fez até fama por ter encontrado uma no meio do mato, como se fosse um grande "mistério" mas na boa... nem faz diferença isso.


Tem também os Planos Secretos, que são itens coloridos coletados de inimigos específicos, que só podem ser recolhidos quando o macaco certo derrotar o inimigo. Esse item só serve pra ser trocado por uma Banana Grande, além de ser um pré-requisito pra terminar o jogo, encontrar todos. Cada fase tem 5, 1 pra cada macaco.

Se tudo isso não bastasse como coletáveis, tem também as Fadas Bananas, que são fadinhas que surgem em alguns pontos e precisam ser fotografadas pra serem capturadas, rendendo upgrades em alguns itens dos macaquinhos.


Tem as Coroas Douradas, que são conquistas de Batalhas contra Kremlings especiais, promovidas por King K. Rool, existentes em todas as fases (1 por fase). Elas são também necessárias pra terminar o jogo, mas não é preciso pegar todas, apenas 4.


E, além disso tudo, tem os bônus, sempre com uma forma diferente de serem alcançados ou descobertos, sempre com um desafios diferentes, sempre com uma Banana Grande como recompensa.


Tem mais, muito mais. São pequenas variações pra cada macaco, resultados de cada habilidade ou passo, coisas que tornam o jogo cada vez mais dinâmico... mas o que importa mesmo, são as Bananas.

E alias, o jogo se passa em duas ilhas, principalmente, a dos Macacos, que tem a forma de Donkey Kong...


E a dos Kremlings, que é artificial.


Além disso tem uma pá de outras ilhetas mas, falo delas depois. E não se engane pelo tamanho proporcional externo delas, por dentro são muito maiores.

Cada macaco tem características próprias, e habilidades... pra não enrolar, falarei deles, quem são e quais são seus principais poderes.

Donkey Kong



Ele recolhe as bananas e itens de cor Amarela. É o protagonista do jogo, e o mais imbecil de todos.


Aqui, todos os demais macacos foram capturados pelos Kremlings, e agora cabe ao DK resgata-lo, além de recuperar as bananas tudo que também foram roubadas.


Só que, não é difícil encontra-los, todos os outros 4 macacos são resgatados logo nas 3 primeiras fases, o que é bom pois só é preciso voltar e jogar 100% essas três fases (se quiser o 101% de jogo).

Donkey pode dar murros, pode pular, balançar em cipós voadores ou cordas, subir em árvores com tronco fino, pode também pular alto (usando Z+pulo) e cair com força, pra causar impacto no chão, ou pra acionar botões.


Ele pode carregar barris também, quando aparece algum, e como habilidades especiais ele tem o poder de ficar invulnerável, ao custo de Cristais Prateados (é, tem isso também).


Ele também tem o poder surpreendente de puxar alavancas. Pois é, isso é um "poder", e pior, ele nem é o mais forte do grupo (e isso precisa ser comprado ta).


Todos os macacos podem nadar ta, e respiram embaixo d'água... é uma loucura... mas é Donkey Kong.



Além disso, eles podem lançar Bombas de Manga, super destrutivas...



E, Donkey tem um poder especial de ser Lançado por Barris Canhões... é... que poderzão hein.



Diddy Kong




O chimpanzé que eu jurava que era irmão do gorila, também volta, agora como o primeiro resgatado. Ele tinha sido trancado numa armadilha dentro da floresta da ilha de DK mesmo.


Diddy pula muito mais alto que qualquer outro macaco, inclusive usa isso como sua habilidade especial. Ele tem um pouco mais de agilidade, é pequeno, pode rodopiar e dar golpes com a cauda, além de fazer todas as outras proezas básicas como pular, balançar e escalar (geral faz isso).


Como poder especial, ele pode usar uma Jetpack, e sair voando pra qualquer parte do mapa. É difícil de controlar mas, é o melhor poder de todos... e consome cristais prateados também.



Ele também pode carregar uma cabeçada que empurra botões e ativa alguns segredos.




Todos os macacos tem instrumentos musicais também, depois falarei melhor disso, mas o de Diddy é o mais importante pois agora ele abandonou a vida de Rapper e virou Roqueiro. Ele usa uma Guitarra, provavelmente por causa de sua mina (Dixie, que ta de férias eu acho).

Tiny Kong




Essa é a irmã mais nova de Dixie, que foi aprisionada na região Azteca da ilha dos macacos (lembra dessa região em DKC!?). Ela é bem pequena, e usa seu cabelo pra atacar.


Tiny tem como habilidade especial a capacidade de planar, igual sua irmã, só que ela gira o corpo inteiro pra isso (não só a juba).


Ela também tem o poder de encolher, e entrar em locais minúsculos, o que também consome cristais prateados. Uma vez pequena, muitas passagens e coisas interessantes podem ser descobertas, o que torna ela uma das macaquinhas mais interessantes.


Lanky Kong




Esse é um macaco com complexo de Dawsin, e um aspecto caipira, além de ser bem mais flexível que todos os outros. Ele foi aprisionado também numa armadilha na região Azteca.


Lanky é muito mais rápido que os outros, conseguindo correr com as mãos, o que permite subir em locais íngremes sem escorregar.


Ele tem até um poder especial de ficar bem mais acelerado, ao custo de cristais prateados.



Ele também pode inflar, e flutuar brevemente, em alguns locais específicos.



Seus socos e golpes se esticam acertando mais longe do que qualquer outro macaco.



Chunky Kong



Esse é o mais poderoso de todos, o irmão mais velho do bebê de DKC3.



Seu poder especial é crescer, e ele fica gigantesco e ainda mais arrasador do que já é.




Também pode carregar pedras e coisas pesadas, além de ter um pulo destruidor, muito mais que os demais (todos podem pular e cair causando dano, mas ele é bem mais forte).



Ele também tem um murro carregado que pode destruir portas, e estruturas frágeis.




Além disso, ele tem um poder estranho de ficar invisível, e perceber coisas invisíveis quando esta invisível... Nesse caso ele não consome Cristais de Prata mas, só da pra ficar assim nos interruptores certos.


Chunky é o último a ser resgatado, por padrão, encontrado na primeira fase na ilha dos Kremilings, uma fábrica de brinquedos... e é, eles tem uma fábrica de brinquedos... Provavelmente Chunky foi la seduzido pelos brinquedos (apesar de ser mais velho que seu irmão, ele ainda é bem jovem, infantil e inocente).


Cranky Kong



Cranky, o velho rabugento que vira e mexe ajuda, ou provoca os macacos, ta novamente presente, agora como aspirante a cientista. Ele cria poções que ativam as habilidades especiais dos outros primatas, mas ao invés de providenciar tudo de cara, e de graça, ele cobra, e só da uma habilidade a cada encontro nas fases.


Ele tem uma casinha projetada em todos os mundos, inclusive aqueles dentro da ilha Kremling, mas é só pra que tenha presença garantida mesma. As casas surgem do nada quando nos aproximamos, e não faz parte do enredo a existência delas, é só uma forma do "mercado" do jogo se fazer presente (pra mim, faria muito mais sentido ter de voltar pra ilha dos macacos ao invés de ter essas casas no meio das fases).

Detalhe, existem teletransportadores tá, além de barris mágicos. Os Teletransportadores uma vez acionados, levam os macacos pro local de número equivalente. Com isso no jogo, podia ter ao invés das casinhas, apenas um teletransportador mesmo... apesar de as vezes terem teletransportadores para as casinhas... é uma bagunça.


Enfim, Cranky sempre zoa os macacos antes de vender suas poções, mas ele zoa muito mais o DK. Ele parece odiar seu neto, mas é só rancoroso e rabugento mesmo, sempre se achando o melhor. Só porque um dia ele foi um grande e poderoso gorila... alias...


Existe nesse jogo, uma máquina Arcade na Fábrica de Brinquedos dos Kremlings, onde da pra jogar Donkey Kong, o clássico, no qual Cranky antagonizava em seu auge.


Pois é, tem muito disso em DK64, em que fazem questão de mostrar que o jogo, é um jogo e ponto. A inclusão do DK originai no 64, de forma obrigatória (pra concluir 101% é obrigatório vencer esse jogo 2 vezes), não ta la só como easter egg, ta la pra mostrar que DK é um jogo, e eles sabem disso (é esquisito, mas é um fato).


Alias, aproveitando o momento, vale mencionar que, ninguém nunca fala das outras fases de DK né? Sempre que mencionam o original, citam a primeira fase e pronto... mas cara são 4 fases bem diferentes e desafiadoras.


Nós contamos apenas com 1 vida e precisamos vencer (pra repetir, é uma chatice pois Donkey precisa acionar o Arcade e demora que só). todas elas pra concluir o jogo, pegar a Banana Grande, e depois pra pegar a Moeda Especial.

A primeira fase é a mais famosa, do macaco grande (Cranky) jogando barris no Mario.




A segunda fase, é uma torre em que Mario precisa chegar em Cranky, passando por esteiras que mudam de direção, subindo nas escadas que se recolhem as vezes, e evitando as Tochas vivas... alias, eu não sabia que os Foguinhos de Mario nasceram em DK.


A terceira fase é cheia de plataformas que se movem pra cima e pra baixo, e Mario não pode cair muito alto ou morre na hora. Cranky fica lançando Trampolins na tentativa de atrapalhar o progresso, e tem algumas tochas vivas também.


A última fase é o prédio final. Mario precisa pisar e destruir os pilares principais pra desmoronar tudo e derrubar Cranky, salvando assim Pauline.


Detalhe que, tudo isso é referência a King Kong, mas no filme o macaco morre, já em DK ele apenas vira um velho senil que adora implicar com seu neto burro.


Funky Kong





De aviador pra surfista, de surfista pra barqueiro, esse carinha radical medido a mecânico agora se envolveu com armas de fogo! Ele fabrica e vende várias armas para os macacos, e sim, cada um tem uma arma com munição própria.



DK tem uma escopeta de cocos.



Diddy tem duas pistolas de amendoim.



Tiny tem uma balesta miniatura de penas.



Lanky tem uma zarabatana de Bolhas Roxas... eu sei la o que é isso.



Chunky tem uma bazuca de abacaxis.




Essas armas servem pra atingir Balões (é a única forma de estoura-los) e para ativar interruptores, além de as vezes servirem pra derrotar alguns inimigos.



O próprio Funky carrega uma Bazuca também, só que de botas... é meio esquisito eu sei, e ele só usa no final.


Alias, em dada parte ele da um upgrade que faz a mira ser ampliável, como se as armas virassem snipers, pra acertar alvos distantes. Isso até faz sentido na bazuca de abacaxi e na escopeta de cocos... mas como é que Lanky usa isso???



Candy Kong





Essa macaquinha sexy e provocante é namorada do DK, e trabalha com instrumentos musicais. 


Tem quem diga que ela é pervertida e fala com duplo sentido com os macacos, insinuando coisas ao falar dos instrumentos, mas ela fala da mesma forma com sua irmã, Tiny (creio que seja a irmã mais velha dela e de Dixie, afinal as 3 tem cabelos loiros, apesar de não haver nada insinuando isso).


Candy porém conhecem muito bem seu apelo sexual e por isso, usa como arma no final do jogo.




Bem, ela provém instrumentos musicais diferentes pra cada macaco, ao custo de moedas banana, além de upgrades pras músicas.



This post first appeared on DivulganteMorte, please read the originial post: here

Share the post

AnáliseMorte: Donkey Kong 64

×

Subscribe to Divulgantemorte

Get updates delivered right to your inbox!

Thank you for your subscription

×